Jornal do Brasil

Sexta-feira, 29 de Agosto de 2014

País

MTST ocupa sede da empresa dona do terreno da ocupação em Itaquera

Agência Brasil

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocuparam, por volta das 13h desta terça-feira (20), a sede da Viver Incorporadora, no bairro Vila Olímpia, na zona sul da capital. A empresa é proprietária do terreno que foi ocupado por cerca de 2,5 mil famílias no início deste mês. Eles pretendem permanecer no prédio até que a construtora receba representantes do grupo para uma negociação.

De acordo com o movimento, 2 mil pessoas participam do protesto. Uma parte delas, cerca de 500, estão no hall de entrada da empresa. O MTST informou, em nota, que o objetivo é “pressionar a empresa para que retire o processo de reintegração de posse do terreno da ocupação Copa do Povo”. A área onde estão os sem-teto fica a aproximadamente 4 quilômetros do estádio do Corinthians, em Itaquera, onde ocorre o jogo de abertura do campeonato mundial de futebol.

No dia 7, o juiz Celso Maziteli Neto, da 3ª Vara Cível de Itaquera, concedeu liminar determinando o fim da ocupação Copa do Povo. A decisão atendeu à ação de reintegração de posse movida pela Viver. O terreno tem cerca de 150 mil metros quadrados. A medida, no entanto, ainda não foi cumprida, pois o juiz propôs uma audiência de mediação para o próximo dia 23.

O grupo saiu em caminhada da estação de trem Vila Olímpia, interditando a Avenida das Nações Unidas, que margeia a Marginal Pinheiros, no sentido da Rodovia Presidente Castelo Branco. Segundo o movimento, durante a ocupação do prédio não houve resistência dos seguranças e a ação foi pacífica. A Polícia Militar não informou quantas pessoas participam da manifestação.

Há duas semanas, o MTST, junto com outros movimento sociais que formam o coletivo Resistência Urbana, iniciaram uma série de manifestações que devem ocorrer até a Copa do Mundo. O primeiro ato ocorreu no dia 8 com a ocupação de três construtoras que receberam recursos para a construção dos estádios da Copa. Na semana passada, seis avenidas de São Paulo foram interditadas para cobrar moradia e outros direitos sociais. Os grupos prometem pelo menos um protesto por semana.

Tags: Atos, protestos, sem teto, SP, terras

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.