Jornal do Brasil

Domingo, 27 de Maio de 2018 Fundado em 1891

País

PF aponta elo de Argôlo com laboratório de doleiro preso

Jornal do Brasil

Uma conversa interceptada pela Polícia Federal durante a investigação da Operação Lava Jato aponta uma possível relação do deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) com o grupo do laboratório Labogen, controlado pelo doleiro Alberto Youssef, preso em março pela PF. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a publicação, em troca de mensagens no dia 28 de fevereiro de 2014, Youssef diz a Argôlo que "está tendo dificuldade em dormir" por causa de Leonardo, que, para a PF, seria Leonardo Meirelles, “um dos laranjas da Labogen". O doleiro então diz a "LA", sigla que abrevia o nome de Argôlo nas mensagens: "fica em cima desse Leonardo"; e, em seguida, escreve: "não autorizou. Entrega ainda”. Argôlo responde posteriormente a Youssef: "vai da agora. Na próxima semana. O Gov mandou fazer um evento só para isso". 

O chefe de gabinete de Argôlo disse à publicação que o deputado não tem nenhum contato com o "pessoal da Labogen" e nunca "abriu portas" para a equipe do laboratório no ministério da Saúde. O Ministério da Saúde disse ao jornal que não houve evento organizado pela pasta para entrega de produtos da Labogen na semana seguinte a 28 de fevereiro e que não houve reunião do secretário Carlos Gadelha ou do diretor Eduardo Jorge Valadares para tratar com Argôlo sobre assuntos da Labogen.

Portal Terra


Tags: Operação, argolo, doleiro, lava jato, polícia

Compartilhe: