Jornal do Brasil

Terça-feira, 2 de Setembro de 2014

País

Lula: adversários querem colocar 'marca' da corrupção no PT

Portal Terra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta sexta-feira, que os adversários políticos do PT querem colocar a “marca” da corrupção no partido, fazendo alusão às críticas feitas em relação ao chamado Mensalão, que ocorreu quando Lula estava na presidência do país. Segundo o ex-líder petista, é preciso voltar as atenções para a política e “cuidar” do assunto com “carinho”.

“Temos que convencer as pessoas a fazer política. Entrar e melhorar. Negar a política não é bom. Precisamos voltar a ter orgulho de fazer as coisas. Barbudo com camisa vermelha é uma desgraça, mas eu tinha orgulho e hoje eles querem jogar no PT a pecha (marca) da corrupção. Criamos um partido político para ser diferente, pra fazer política que desse orgulho nas pessoas. Não fizemos um partido pra entrar na vala comum das mesmices. Se a gente não tiver orgulho estaremos machucados”, afirmou Lula, em encontro com blogueiros em São Paulo.

O ex-presidente criticou a falta de empenho dos políticos em discutir o tema com clareza. “Começo a me preocupar, porque já vivi momentos como o de hoje, um momento de dispersão de vontade, de diminuição de esperança, falta de perspectiva de um futuro. Quando você colocar mais jovens na universidade você não tem que ficar esperando ele agradecer. Esse jovem quer mais, um emprego melhor, um salário melhor, mais informação. Temos que cuidar disso com carinho. Precisamos falar e não acredito em politica sem esperança. Se não discutir a negação da politica prevalece”, afirmou.

“Vamos comparar nós com eles (PSDB). Não tenho medo disso, inclusive na questão da corrupção. Tem um jeito de não aparecer, é ter uma pessoa contratada só pra levantar tapete e jogar sujeira lá pra baixo. O que era a Controladoria Geral da República quando chegamos? Era uma pessoa. Hoje qualquer um de vocês fiscalizam as contas do governo em tempo real. E vai ser assim. Só tem um jeito de não serem acusadas, é não fazer nada. Pelo fato de ser do PT, CUT, etc, mesmo certo já é acusado. Se errar você está ferrado”, completou.

Lula disse ainda, olhando para o prefeito da capital paulista Fernando Haddad, que também estava no evento, que não se pode “ficar em casa chorando” as críticas dos adversários. “Qualquer um se dá o luxo de esculhambar a política e ninguém se defende. Muitas vezes ficamos em casa chorando, mas não vale mais a pena chorar, porque podemos fazer site, blog, etc. Temos que utilizar os mecanismos dispostos pra falar nossa linguagem”, disse o ex-presidente.

Em relação ao seu histórico político na presidência, seguido pela atual líder Dilma Rousseff, Lula afirmou que os adversários políticos estão com medo e disse que as críticas ao atual governo petista estão sendo “violentas e desrespeitosas”.

“Quiseram ficar a favor e jogar ela (Dilma) contra mim, não colou. Agora estão com medo dela. Fico pensando se eles estão pensando: ‘Se essa Dilma ganhar, fica mais quatro anos e esse Lula volta?’ só tem uma explicação para essa violência que tratam nosso governo, provocações, com palavras, falta de respeito. Se fosse um metalúrgico tudo bem, bata nele. Ela é uma mulher fina, se formou na Unicamp. Ela é letrada, pensei que iam tratar ela com mais delicadeza. Mas não”, disse o ex-presidente.

Tags: disputas, Lula, políticas, presidencial, sucessão

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.