Jornal do Brasil

Segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

País

Recife tem onda de saques durante a greve da Polícia Militar

Jornal do Brasil

Vários estabelecimentos comerciais da região metropolitana do Recife foram saqueados desde a noite de terça-feira (13), quando policiais militares e bombeiros de Pernambuco deflagaram uma greve por tempo indeterminado. Só em Abreu e Lima, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) prendeu 20 pessoas que participaram dos saques ontem à noite. A Polícia Civil já solicitou imagens de câmeras de segurança para tentar identificar outros suspeitos.

Segundo o diretor-secretário da Associação Comercial de Pernambuco, Adalberto Arruda Silva, já foram confirmados saques a farmácias, supermercados, lojas de eletroeletrônicos e de calçados. Os saques ocorreram principalmente em Abreu e Lima, onde ônibus foram depredados e a prefeitura decretou ponto facultativo.

“Temos ciência das notícias de saques e de ações violentas, mas ainda não podemos falar em números. Até porque, há muitos boatos. Foi tudo muito repentino e surpreendente. Não esperávamos ações tão agressivas”, afirmou o diretor. Segundo ele, a associação convocou uma reunião para as 16h de hoje e só então divulgará um pronunciamento oficial.

“Pessoalmente, posso afirmar que todo o comércio espera que essa greve seja suspensa imediatamente. A greve, como último recurso, tem que ser comedida. Sobretudo quando se trata de uma paralisação de policiais”, acrescentou Silva.

Na capital, parte dos lojistas do Shopping Recife fechou as portas após um princípio de tumulto cuja origem ainda está sendo verificada. Segundo funcionários de lojas,  não houve furtos ou saques, só um mal-entendido, e parte das lojas reabriu. No entanto, mais tarde, como medida preventiva, a administração do shopping decidiu encerrar o expediente. Nas redes sociais, internautas que disseram ter presenciado a correria garantem que se tratou de um arrastão e que houve grande confusão. Já em Jaboatão, temendo boatos, alguns lojistas do Shopping Guararapes interromperam o expediente, mesmo a administração do tendo reforçado a segurança. De acordo com a assessoria do shopping, o movimento de consumidores é bem menor que o habitual.

A pedido do governador João Lyra Neto, o Ministério da Justiça autorizou o envio de homens da Força Nacional de Segurança Pública para Pernambuco. A força está autorizada a permanecer no estado pelo período necessário, até o encerramento da greve, e irá atuar em ações de segurança e ordem pública. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, viaja para o estado esta tarde. Além disso, para tentar minimizar o clima de insegurança, o governo estadual determinou que o reforço da Polícia Civil. O número de policiais civis envolvidos na ação não foi divulgado.

Entre 18 reivindicações, os policiais militares e bombeiros pedem melhores condições de trabalho; reajuste salarial de 50% para soldados e de 30% para oficiais retroativo a janeiro deste ano; aprovação de um novo plano de cargos e carreira; fim da pena de prisão prevista no Código Disciplinar; exigência de curso superior para admissão de novos militares; pagamento de uma gratificação para quem fizer cursos de especialização, além do aumento do valor do tíquete-refeição.

Tags: bombeiros, capital, MILITAR, paralisação, pe, polícia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.