Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

País

Polícia pede à Justiça quebra de sigilo do caso Bernardo

Portal Terra

A delegada Caroline Bamberg Machado, responsável pelas investigações do assassinato do menino Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, encaminhou à Justiça do Rio Grande do Sul o pedido de quebra de sigilo do caso. O processo corre em segredo de Justiça, mas Caroline considera que deve ser tornado público. 

O inquérito da Polícia Civil de Três Passos será entregue nesta terça-feira à Justiça e possui mais de 2 mil páginas. 

Na manhã desta terça-feira, a comunidade de Três Passos, onde Bernardo morava com a família, faz uma passeata pelas ruas da cidade. O movimento começou na praça Remeu Geraldino Mertz e seguiu para o Fórum. Cerca de 50 manifestantes, a maioria crianças, estão com cartazes em que pedem Justiça. No meio do caminho, passaram em frente ao Colégio Ipiranga, onde o menino estudava, e muitos alunos se juntaram à caminhada. 

Alzira Pretto era vizinha de Bernardo e defendeu a permanência dos suspeitos atrás das grades. "Essa gente não pode ficar solta, tem que apodrecer na cadeia. Se a Justiça soltar, a gente vai fazer justiça com as próprias mãos", ameaçou.

O caso

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, em Três Passos, depois de – segundo a versão da família - dizer ao pai que passaria o fim de semana na casa de um amigo.

O corpo do garoto foi encontrado no dia 14 de abril, em Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens do rio Mico. Na mesma noite, o pai, o médico Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Ugulini, e a assistente social Edelvânia Wirganovicz foram presos pela suspeita de envolvimento no crime

Segundo a Polícia Civil, o menino foi dopado antes de ser morto, possivelmente com uma injeção letal. No dia 10 de maio, um quarto suspeito de envolvimento no crime foi preso: Evandro Wirganovicz, irmão de Edelvânia. Para a polícia, indícios apontam que ele participado da ocultação de corpo do menino.

Tags: bernardo, madrasta, menino, morte, pai

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.