Jornal do Brasil

Quarta-feira, 17 de Setembro de 2014

País

Nível do Sistema Cantareira chega a 8,8% e bate novo recorde

Portal Terra

O volume de água armazenado no Sistema Cantareira, maior reservatório de São Paulo, chegou a 8,8% segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) e bateu novo recorde. No mesmo período do ano passado, o percentual era de 61,5%.

De acordo com o órgão, desde 1930, quando começou a medição, nunca choveu tão pouco. Em dezembro do ano passado, por exemplo, foram registrados 62 milímetros de precipitação, quando a média histórica para o mês é de 226 milímetros. Já em janeiro deste ano, foram 87,8 milímetros, o pior índice em 84 anos, pois a média histórica é de 260 milímetros. 

A falta de precipitação colocou o reservatório em estado crítico pela primeira vez de sua história. Há um mês, o índice estava em 17,6%. Em 2012, o nível estava em 73,6%. Em 2011, estava em 93,7%, e em 2010, em 99,6%. Até o momento, a pluviometria acumulada do mês é de 0,6 milímetros, enquanto que a média história de maio é de 83,2 milímetros.

Para evitar um colapso no abastecimento de água para cerca de 9 milhões de pessoas, a Sabesp propôs a cobrança de multa de 30% aos consumidores que excederem o gasto médio de água. Além disso, o governo paulista lançou um bônus dado aos clientes que conseguem reduzir o consumo em 30%. Essa ação permitiu uma queda de 76% no consumo em março, e 81% em abril.

No começo da semana, o governador Geraldo Alckmin voltou a negar a possibilidade de adoção do racionamento. Ele confirmou que, na próxima quinta-feira, a Sabesp começa a retirar a água do chamado volume morto, área abaixo do nível de captação das comportas, cujo aproveitamento exige a expansão da estrutura de bombeamento. A previsão é usar 200 bilhões de litros dos 400 bilhões da reserva estratégica.

Tags: abastecimento, água, crise, são paulo, SP

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.