Jornal do Brasil

Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

País

Mais denúncias sobre a Petrobras serão reveladas durante CPMI, diz deputado

Jornal do Brasil

O deputado federal Antonio Imbassahy (BA), líder do PSDB na Câmara, em conversa com o JB por telefone, ressaltou a importância da instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) que vai investigar supostas irregularidades na Petrobras. De acordo com ele, muitas outras denúncias relacionadas à estatal devem ser reveladas ao longo da CPMI, a partir de sua atuação no Brasil e no exterior. "São muitas as denúncias que têm chegado ao nosso conhecimento, de outros negócios que precisam ser esclarecidos", reforça.

"Os brasileiros passaram a conviver com inúmeras denúncias de irregularidades, corrupção e propinas"
"Os brasileiros passaram a conviver com inúmeras denúncias de irregularidades, corrupção e propinas"

Imbassahy declarou que a importância da formação da CPMI deriva da posição da Petrobras, "principal estatal brasileira, símbolo do empreendedorismo, da capacidade técnica e do avanço tecnológico", que agora, diz o deputado, se vê envolvida em indícios de prejuízos milionários, no mesmo momento em que enfrenta o título de estatal petroleira mais endividada do mundo, perde posição no ranking mundial e tem seu patrimônio reduzido em 60%. 

"Os brasileiros passaram a conviver com inúmeras denúncias de irregularidades, corrupção e propinas, coisas que atingem a imagem da empresa, que deve ser preservada por todos. A partir dessas constatações, dos indícios de fatos concretos que revelaram graves prejuízos para a Petrobras, inclusive com a participação direta da presidente da República Dilma Rousseff, que na época em que negócios nebulosos foram realizados era presidente do Conselho de Administração, resta ao Congresso Nacional, na sua função de fiscalizador dos atos do executivo, instalar uma CPI Mista, para deixar claro para a sociedade brasileira os malfeitos e os responsáveis por eles", ressalta o deputado.

Ele destaca ainda os esforços que teriam sido movidos pelo Planalto para que a comissão não fosse instalada, um indício, acredita, de temor do que pode ser revelado. O deputado crê que a situação atual da Petrobras seria resultado de uma gestão temerária, do aparelhamento a que a empresa foi exposta, ao ponto de assistir a Polícia Federal realizar operações de busca e apreensão em sua sede. 

Publicação da página oficial do deputado no Facebook, nesta quarta-feira (7), informa que um requerimento endereçado ao ministro Edison Lobão, das Minas e Energia, foi protocolado ontem, para obter detalhes sobre a venda de poços de petróleo da Petrobras na África. Comunica também que uma auditoria especial sobre a operação foi solicitada ao Tribunal de Contas da União. 

"Segundo a imprensa, os ativos, avaliados inicialmente em US$ 4,5 bilhões, foram vendidas ao banco BTG Pactual por US$ 1,5 bilhão, três vezes menos. Para o banco, o negócio foi tão bom que em poucos meses começou a recuperar o capital investido e tirou de lá US$ 150 milhões em dividendos. Já para a Petrobras e para os brasileiros....Esse é mais um assunto envolvendo a Petrobras que vamos investigar a fundo", diz a publicação na rede social.

No primeiro mandato como deputado federal, Imbassahy havia apresentado pedido de apuração das denúncias de superfaturamento na compra da refina de Pasadena, no Texas (EUA), em maior de 2013. Também assinou requerimentos para realização de audiência pública com a presença do ex-Diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, para prestar esclarecimentos sobre seu envolvimento na construção da Refinaria Abreu Lima, em Pernambuco; e, anteriormente, de convocação do ex-diretor da Área Internacional da estatal, Nestor Cerveró, para falar sobre a compra da refinaria de Pasadena.

Tags: cpi, denúncias, imbassahy, pasadena, Petrobras

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.