Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Setembro de 2014

País

TST vai ter a sexta ministra mulher

Lista para a vaga de Reis de Paula tem três desembargadoras

Jornal do BrasilLuiz Orlando Carneiro

Brasília - O plenário do Tribunal Superior do Trabalho escolheu, nesta segunda-feira (28/4) os nomes das desembargadoras Maria Doralice Novaes, Maria Helena Mallmann e Luíza Aparecida de Oliveira Lomba para integrar a lista tríplice da qual sairá a sucessora do ministro Carlos Alberto Reis de Paula, que se aposentou, ao completar 70 anos, em fevereiro deste ano. Assim, o TST – que tem 27 ministros - passará a contar com seis mulheres.

A lista – pela primeira vez composta só por magistradas - será encaminhada à presidente Dilma Rousseff. Aquela que for escolhida pela presidente da República será sabatinada pelo Senado Federal e, logo depois, o seu nome será submetido ao plenário daquela Casa.

Mulheres nos tribunais superiores

Desde a nomeação da ministra Rosa Weber para o Supremo Tribunal Federal, em 2011, o TST não tinha uma magistrada de carreira indicada para seus quadros. O TST foi o primeiro tribunal superior a ter uma mulher em sua composição – a ministra Cnéa Cimini Moreira de Oliveira, em 1990. Atualmente, conta com cinco mulheres: as ministras Maria Cristina Peduzzi, Maria de Assis Calsing, Dora Maria da Costa, Kátia Magalhães Arruda e Delaíde Alves Miranda Arantes.

No Supremo Tribunal Federal, há duas mulheres entre os 11 ministros (Cármen Lúcia e Rosa Weber, esta ex-ministra do TST). No Superior Tribunal de Justiça, elas são seis num colegiado de 33 assentos (Nancy Andrighi, Laurita Vaz, Maria Thereza de Assis Moura, Maria Isabel Gallotti, Assusete Magalhães e Regina Helena Costa). Com a nomeação da nova ministra, o TST voltará a ser o tribunal superior com maior percentual de mulheres em sua composição (22%).

Na Justiça do Trabalho como um todo (três instâncias), as mulheres ocupam 41,2% do total de cargos providos de juiz.

As indicadas ocupam, hoje, os seguintes cargos: Maria Doralice Novaes, presidente do TRT 2ª Região (SP); Maria Helena Mallman, desembargadora do TRT da 4ª Região (Rio Grande do Sul); Luíza Lomba, do TRT da 5ª Região (BA).

Tags: cargo, justiça, mulher, nomeada, Tribunal

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.