Jornal do Brasil

Sábado, 25 de Outubro de 2014

País

Polícia prende três acusados de explorar trabalho escravo

Agência Brasil

Três homens foram presos na região norte fluminense acusados de manter quatro trabalhadores em condições análogas à de escravo, por mais de dez anos. Depois de pelo menos dez horas de trabalho, eles eram trancafiados em um quarto. Paulo César Azevedo Girão, Marcelo Conceição Azevedo Girão e Roberto Melo de Araújo foram presos em flagrante e levados para a Casa de Custódia em Campos dos Goytacazes.

  A Polícia Civil informou que a fazenda onde as vítimas ficaram em cativeiro fica em Angelim, São Fidélis (RJ). Policiais de Campos dos Goytacazes e de São Fidélis chegaram até o local após denúncia de uma das vítimas que conseguiu fugir e procurou a delegacia.

"A vítima que fugiu foi chamada para trabalhar para Paulo Girão em troca de uma quantia em dinheiro, mas, segundo a vítima contou, não recebeu nenhum centavo até hoje. Paulo Girão teria contratado Roberto de Araújo para vigiar os trabalhadores rurais e os levava para trabalhar. No quarto em que as vítimas ficavam só tinha uma televisão, uma cama e um vaso sanitário e ficava dentro de um terreno na casa de Roberto", disse a delegada Nathália Brito.

Segundo a polícia, os trabalhadores eram levados a um lugar não identificado às 4 h da manhã e retornavam para o cativeiro às 17 h. Elas não tinham carteira assinada e não recebiam nada pelo trabalho; viviam  em situação sub-humana, recebendo uma ou duas refeições por dia. Segundo a delegada, o fugitivo disse que iria ao banheiro e escapou pela mata. Ele procurou a polícia para libertar as outras pessoas que estavam presas. Em depoimento, mostrou as marcas de agressão física e contou que não tinha nenhum meio de comunicação com a família", disse.

Tags: angelin, campos dos goytacazes, prisão, Rio de Janeiro, são fidélis, trabalho escravo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.