Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Junho de 2018 Fundado em 1891

Rio

Ministério Público cobra soluções do Estado para educação

Jornal do Brasil

Um escola superlotada, com paredes no reboco e poucos banheiros para 1,1mil crianças. Essas são algumas das condições encontradas pela comitiva dos ministérios públicos Federal e Estadual no Rio de Janeiro. Procuradores e promotores fizeram neste Dia Internacional da Educação (28) uma espécie de blitz em escolas públicas do país para averiguar as instalações e o atendimento às crianças. No Rio, a visita teve a presença do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

Na capital fluminense, a comitiva com o procurador-geral esteve na Escola Municipal Professora Helena Lopes Abranches. A unidade fica na zona oeste, região que concentra denúncias, como falta de vagas e superlotação. Lá, o almoço começa a ser servido às 9h, por exemplo. “Temos 600 alunos por turno. Se eu colocar todos para almoçar no horário do almoço, faltaria espaço”, diz a diretora, Luciana Lebis.

A escola sofre também com insuficiência de bebedouros e banheiros, que estão disponíveis apenas no andar térreo, em um prédio de três andares, e áreas de lazer. “Pela demanda da quantidade de turmas, às vezes, três, quatro turmas fazem educação física ao mesmo tempo, na mesma quadra”, relatou a diretora. A escola também não é adaptada para alunos com deficiência.

Outro problema é o fato de a escola, de ensino infantil, receber turmas de ensino médio durante a noite, quando outra diretoria assume o turno, coordenada pela rede estadual. “Isso gera problemas por falta de espaço”, disse a diretora Luciana.

Durante a visita, os procuradores e promotores preencheram um formulário sobre as condições da escola. O objetivo é, posteriormente, estabelecer um diálogo com a prefeitura e o governo do estado. “Em último caso, sendo necessário, é nosso dever buscar a tutela judicial”, disse a procuradora Maria Cristina Cordeiro. “Mas não em um primeiro momento. Queremos que os gestores solucionem os problemas sem que precisemos ir à Justiça”, completou.

A visita faz parte do projeto Ministério Público pela Educação, que além de ir até escolas de 14 estados pelo país, pretende criar canais de diálogo com a população, como audiências públicas, para ouvir os pais, os alunos e os profissionais. Na zona oeste da cidade do Rio, a próxima reunião com a comunidade está prevista para o dia 27 de maio.

Acompanhando a visita da comitiva na escola do Rio, a representante da Secretaria de Educação, Mariana Grolla, disse que a reforma da instituição está entre as prioridades da pasta. ”A escola foi incluída no Programa Conservando. No projeto, quem prevê as ações imediatas para a reforma são os engenheiros”, disse, sem antecipar a data de início das obras.

A secretaria reconhece que o elevado número de turmas no colégio não é o ideal, mas não tem opção. “Nossa prioridade é manter as crianças na escola. São poucas escolas aqui no entorno e esta tem uma demanda muito grande”, disse Mariana. A previsão é que a prefeitura construa unidades ainda em 2014, mas não confirma se serão na zona oeste.

Agência Brasil


Tags: MP, dia internacional da educação, educação, rodrigo janot, secretaria de educação

Compartilhe: