Jornal do Brasil

Quarta-feira, 3 de Setembro de 2014

País

Junta médica conclui que estado de saúde de Genoino não é grave

Laudo vai definir se condenado deixa regime domiciliar

Jornal do BrasilLuiz Orlando Carneiro

Brasília - A Junta Médica dos médicos cardiologistas professores da Universidade de Brasília e do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal enviou nesta segunda-feira (28/4) ao ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal e relator da ação penal do mensalão, o resultado da reavaliação do estado de saúde do ex-deputado federal José Genoino – que foi condenado a 4 anos e 8 meses de reclusão no regime semiaberto, mas que se encontra ainda em prisão domiciliar. Cinco meses depois da primeira avaliação (23/11 do ano passado), os especialistas consideram pela “persistência de condições clínicas caracterizadas como não graves e o definido sucesso corretivo curativo da condição cirúrgica do paciente”.

O novo laudo pericial conclui estar o quadro clínico de Genoino “plenamente estabilizado, não se podendo julgar sobre o risco mórbido futuro presuntivo, o qual depende de fatores os mais diversos, como próprios de muitas condições médicas”. Os especialistas que assinam a reavaliação são os médicos-professores Luiz Fernando Junqueira, Alexandre Visconti, Cantídio Lima Vieira e Fernando Atik.

A avaliação médica

A avaliação médica é o resultado do exame feito pelo ex-deputado federal no último dia 12, no Instituto de Cardiologia do Distrito Federal.  Os responsáveis pela execução penal (STF e Vara de Execuções) querem saber se o condenado tem condições físicas de ser transferido para o estabelecimento penitenciário no qual deve ficar recolhido durante à noite, com licença para trabalhar durante o dia.

O procedimento, que incluiu um exame clínico e um eletrocardiograma, foi acompanhado por um dos advogados de Genoino e por um médico particular do ex-deputado. Exames laboratoriais e outros mais específicos foram feitos dias antes e encaminhados ao STF.

José Genoino foi preso em novembro junto com outros condenados, entre os quais o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. O ex-deputado ficou menos de uma semana no complexo penitenciário da Papuda. Ele deixou o estabelecimento após reclamar de problemas cardíacos. Depois de um período de internação, Genoino foi para a prisão domiciliar e não voltou mais para a prisão.

Tags: condenação, genoino, Mensalão, SAÚDE, Supremo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.