Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

País

BA: Wagner reconhece conteúdo político da greve da PM

Portal Terra

O governador Jaques Wagner (PT) buscou um tom sóbrio na coletiva que seguiu o anúncio do fim da greve da polícia e dos bombeiros militares da Bahia, concedida na tarde desta quinta (17), na Governadoria, Centro Administrativo do Estado. Wagner evitou atrelar as reivindicações dos manifestantes com possíveis motivações políticas dos grevistas. Um dos representantes da categoria, o vereador Marco Prisco, pertence à oposição (PSDB) e vai concorrer à câmara estadual.

Ele afirmou que o acordo é resultado de longa negociação que vem sendo mantida há meses e até antes da greve. “Todo movimento é político, não quero insistir nisso. Não há como não ter uma contaminação. A negociação que estávamos fazendo está sendo feita há sete, oito meses. Não vou criminalizar a participação da política”, disse o governador.

Governador Jaques Wagner durante coletiva sobre o fim da greve da Polícia Militar
Governador Jaques Wagner durante coletiva sobre o fim da greve da Polícia Militar

Momentos depois do fim da greve, Wagner declarou: “Recebemos a notícia que nos tranquiliza muito de que, com os esforços de alguns intermediários, finalmente os policiais aprovaram, em assembleia, o fim da greve”. O governador ainda anunciou que os homens das Forças Armadas e das Força Nacional permanecem na Bahia mesmo com o fim do movimento. Assim, o decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) assinado pela presidente Dilma Rousseff está mantido. “O nosso planejamento não se encerra aqui, temos um feriado pela frente e vamos manter a GLO para uma reavaliação e ter a certeza de que a normalidade foi reconquistada.”

>> Chega ao fim greve da Polícia Militar em Salvador e região

>> Tropas federais continuarão mobilizadas na Bahia, mesmo com fim da greve

As tropas federais designadas para reforçar a segurança pública na Bahia começaram a chegar a Salvador na última quarta-feira (16). Os militares estão autorizados a realizar patrulhas, vistorias e prisões em flagrante. O comandante da 6ª Região Militar, general Racine Bezerra Lima, está no comando das operações. 

Ônibus voltam ao normal amanhã

Já o prefeito de Salvador, ACM Neto, elogiou o entendimento entre o governo do Estado e a Polícia Militar, que levou ao fim a greve de três dias. “Trabalhei e torci pelo fim do movimento para que Salvador voltasse a ter suas atividades normalizadas. Prevaleceu, portanto, o bom senso e o interesse coletivo”.

Os ônibus só voltam a circular normalmente a partir de amanhã, sexta-feira (18), de acordo com a Superintendência de Trânsito e Transportes de Salvador (Transalvador). Hoje (17), segue a determinação do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários da Bahia de recolher a frota às garagens a partir das 18h, devido ao retorno gradativo dos policiais às ruas. Cerca de três mil ônibus circulam em Salvador e na RMS diariamente, operados por uma média de 15 mil rodoviários.

Tags: Bahia, Governador, greve, jaques wagner, PM

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.