Jornal do Brasil

Sábado, 1 de Novembro de 2014

País

Caso Bernardo: pai e madrasta foram a festa 1 dia após morte do menino

Portal Terra

O pai e a madrasta do menino Bernardo, 11 anos, que foi encontrado morto em Frederico Westphalen (RS), foram vistos em uma festa em 5 de abril em Três de Maio, a cerca de 80 quilômetros de Três Passos, onde o casal reside. Segundo o atestado de óbito, a criança foi morta um dia antes da festa. O pai, Leandro Boldrini, a madrasta Graciele Boldrini, e uma amiga desta estão presos suspeitos do crime.

>> Corpo de Bernardo é enterrado ao lado da mãe em Santa Maria

>> RS: menino foi dopado antes de ser morto com injeção letal

>> RS: atestado de óbito diz que morte de Bernardo foi violenta

“Era visível que estavam felizes, e bebendo como todos da festa”, diz Luana Gabriela, promotora do evento, que também é de Três Passos e conhecia o casal. “Toda a população aqui sabia de como era o caso. As pessoas viam ele pela rua, ou esperando sentado na calçada o pai chegar”, diz Luana, que afirma que a madrasta não deixava a criança entrar em casa quando voltava da escola.

A promotora conta que os dois ficaram no no camarote mais caro do evento, que custava R$ 60 por pessoa. O organizador da festa, Paulo Cavalcanti, diz que outras pessoas viram o casal. “Não tenho relacionamento com esse casal, nem sei quem é (...), mas nossos promoteres confirmaram que estavam lá.” 

A assistente social Edelvânia Wirganovicz, amiga da madrasta, foi quem indicou onde o corpo estava enterrado. Ela ainda disse à polícia que o menino foi dopado e depois recebeu uma injeção letal. A assistente social conta que ela e Graciele foram de Três Passos a Frederico Westphalen com a desculpa de comprar uma TV. 

O casal foi preso na última segunda-feira suspeito pelo crime. A mãe do menino, Odilaine Uglione Boldrini, teria cometido suicídio em 2010, após o fim do relacionamento com Leandro.

Tags: bernardo, Casal, crime, presos, promotora

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.