Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

País

Médico boliviano é suspeito de abusar de pacientes em Goiás

Portal Terra

Um médico ginecologista boliviano, naturalizado brasileiro, foi preso por policiais da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) em Goianésia (GO) por suspeita de abusar de pacientes. As informações foram divulgadas pela Polícia Civil no sábado. De acordo com a delegada Poliana Bergamo, Oscar Ribera Paniagua, 64 anos, teria cometido os crimes entre 2012 e fevereiro deste ano.

Segundo o relato das vítimas, com idades entre 23 e 48 anos, em todos os casos Oscar agia de modo semelhante. "Ele fazia elogios e perguntas impróprias às pacientes. No final, as segurava e tentava beijá-las na boca", detalhou Poliana. 

Duas das vítimas contaram à delegada que o médico também atuava também como clínico geral. Durante as consultas, ele questionava se as mulheres haviam feito cesarianas e pedia para ver as cicatrizes.

De acordo com a polícia, em um dos casos, a paciente buscou atendimento apenas para obter uma receita para medicamento controlado. Mesmo assim, Oscar pediu, segundo a vítima, para que tirasse a roupa e acariciou sua vagina por quatro vezes.

Poliana contou que até o momento quatro vítimas procuraram a Polícia Civil. A delegada acredita que, com a notícia da prisão, outras vítimas se encorajarão em denunciar os abusos. "Nestes casos é comum a paciente não esboçar reação inicial, pois há uma perplexidade momentânea, seguida pelo sentimento de indignação e revolta posterior. Pedimos que outras vítima procurem a Polícia Civil para denunciar esse médico", pediu a delegada.

Oscar trabalhou em três hospitais particulares de Goiânia durante 15 anos. Atualmente, também prestava atendimento no Hospital Santa Maria, em Brasília, no Distrito Federal. O ginecologista foi autuado pelos crimes de violação sexual mediante fraude, constrangimento ilegal e perturbação da tranquilidade.

Tags: abuso, denúncia, estupro, ginecologista, médico, sexual, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.