Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Dezembro de 2014

País

Fornecedores da Petrobras pagaram R$ 34,7 mi a doleiro

Portal Terra

Laudos da Polícia Federal apontam que nove fornecedores da Petrobras depositaram R$ 34,7 milhões na conta de uma empresa que seria controlada pelo doleiro Alberto Youssef, investigado pela PF na Operação Lava Jato. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com a publicação, um empregado do doleiro chamado Waldomiro de Oliveira, em nome de quem a empresa MO Consultoria está registrada na Junta Comercial de São Paulo, afirmou à PF que a empresa não tem atividade de fato.

A suspeita da PF é de que a consultoria seja usada no repasse de propina para funcionários públicos e políticos. Um laudo da polícia afirma que passaram por essa empresa um total de R$ 90 milhões entre 2009 e 2013.

Segundo o jornal, entre os grandes grupos que pagaram à MO estão empresas que operam nas obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Os maiores pagamentos foram feitos por duas empresas do grupo Sanko - R$ 26 milhões.

Um dos responsáveis pela negociação dos contratos da refinaria foi o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso na Operação Lava Jato. A PF suspeita que ele tenha negócios com Youssef e que tenha usado o doleiro para pagar subornos. 

A Sanko Sider diz que os pagamento são comissões pela venda de tubulações, intermediada pela empresa. Segundo a companhia, duas empresas do grupo "utilizaram os serviços contratados, comprovados pela emissão de notas fiscais, que foram devidamente contabilizadas, tributadas e pagas, via sistema bancário, de acordo com a legislação vigente".

Tags: doleiro, ministério público, Pernambuco, Petrobras, sanko sider

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.