Jornal do Brasil

Quarta-feira, 1 de Outubro de 2014

País

'The Economist': direita tem pouca representatividade no país

Cenário seria resposta ao legado deixado pela ditadura militar.

Jornal do Brasil

A revista The Economist publicou em seu site, nesta quinta-feira (3), reportagem sobre a falta de representatividade da direita na política do Brasil. O texto "Politics in Brazil" (Política no Brasil), afirma que 26 dos 32 partidos do país possuem as palavras "social", "democratas" e "trabalhadores" no seu nome. A causa para este cenário seria o legado deixado pela ditadura militar, que tomou o poder em 1964 e só o deixou em 1985.

A reportagem destaca que, contudo, a maioria dos brasileiros não é de esquerda. Para sustentar esta afirmação, citou uma enquete do Datafolha que revelou que cerca de metade da população é a favor do porte de armas e pena de morte, enquanto pouco mais de um quarto tem uma visão à esquerda. Em relação à economia, as proporções são inversas. 

Em seguida, o texto chama a atenção para o possível surgimento do partido "Novo", que prega a liberdade do mercado, o Estado mínimo, impostos baixos e liberdades individuais (incluindo o porte de armas). A legenda precisa de 492 mil assinaturas para ser registrada, mas por enquanto só possui 20 mil. O autor conclui o texto sugerindo que, à medida que os brasileiros enriquecem, cada vez mais podem querer conservar seus ganhos, em vez de dividi-los. 

Tags: brasil, direita, partidos, política, the economist

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.