Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

País

Greve dos metroviários dificulta transporte de passageiros no DF

Agência Brasil

Pelo menos 140 mil passageiros enfrentaram tumulto hoje no metrô do Distrito Federal em razão de greve dos metroviários.  A Companhia do Metropolitano disponibilizou sete trens nos horários de pico: pela manhã e no fim da tarde. No intervalo, apenas quatro trens circulam.

O metrô circulou com 17 trens a menos que o habitual no início da manhã. Com a superlotação, muitos passageiros não conseguiram embarcar. A empregada doméstica Janeci Silva chegou à estação Praça do Relógio, em Taguatinga, às 6h40. Quase uma hora depois, ela ainda não havia embarcado. “Já passaram dois trens, mas estavam cheios e não consegui entrar. Eu tinha que estar no trabalho às 7 horas, estou muito atrasada”.

Por causa da greve, a direção do metrô fechou 10 estações. Os embarques estão sendo feitos apenas em 14  das 24 estações. Muitos passageiros não sabiam e encontraram as portas fechadas. Foi o que aconteceu com a vendedora Josilene Lima, na estação Concessionárias, em Águas Claras. “Agora não sei o que vou fazer. Não conheço a cidade, vou procurar outra estação”, afirmou.

O coordenador do Sindicato dos Metroviários, Luciano Costa, disse que os trabalhadores cobram reajuste salarial de 10%, cumprimento do acordo coletivo e redução da jornada de trabalho de 8 para 6 horas diárias. “A jornada de 6 horas dos pilotos está há quase 4 anos em fase experimental, prova que a redução é possível, mas o metrô não formaliza.  E, para as demais áreas com regime de 8 horas diárias, queremos o prazo de um ano para a redução da carga”, declara o sindicalista.

O secretário de Administração Pública do DF, Wilmar Lacerda,  disse que não há possibilidade de aumentar os salários dos metroviários: no ano passado já foi dado reajuste. “O salário de um piloto passou de R$ 2.200 para R$ 4.600. Não há condição de dobrar o salário dos servidores e, no ano seguinte, eles fazerem nova greve”. Lacerda também disse que os grevistas vão ter o ponto cortado.

O Governo do Distrito Federal informou que conseguiu liminar na Justiça que garante o acesso de servidores e passageiros às instalações do metrô. Agora, o GDF quer que a Justiça decrete a ilegalidade da greve dos metroviários.

Tags: Brasília, estações, Metrô, paralisação, Transportes

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.