Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

País

AM: empresa crê em falha de tacógrafo em acidente que matou 16

Portal Terra

Depois de quatro dias do acidente que matou 16 pessoas em Manaus, o advogado da empresa Etacom, proprietária do caminhão-caçamba que colidiu com o micro-ônibus executivo na última sexta-feira, disse acreditar que o alarme do tacógrafo da caçamba não disparou, alertando o motorista Ozaias Costa de Almeida do possível excesso de velocidade. "Diariamente conferimos os tacógrafos de nossos veículos e nunca encontramos nenhuma ocorrência de excesso de velocidade por parte de nosso motorista que faleceu. Pelo histórico dele, acreditamos que o alarme do tacógrafo não disparou, o que provavelmente o teria alertado", disse o advogado Francisco Figueira.

O advogado disse que a empresa ainda não teve acesso ao disco de registro do tacógrafo, e que ele permanece no caminhão. "Falamos com a perícia e soubemos que o equipamento ainda nao foi mexido. Os dados nele contido serão de fundamental importância para saber se houve excesso de velocidade", afirmou Figueira.

A empresa Etacom atua em Manaus desde setembro de 2013. Todos os veículos pertencente a ela, segundo o advogado, possuem seguro. "Estamos dando toda a assistência às quatro vítimas internadas e estamos abertos às demais vítimas e seus familiares nos procurarem para darmos o auxílio devido", disse Francisco Figueira.

As quatro vítimas que permanecem internadas são a cobradora do micro-ônibus,  Gisele Souza da Costa, além de Clariminio Gonçalves Lopes, Antônio Wilson da Silva e Maria Costa Bentes.

Auxiliar do motorista recebe alta

O auxiliar do motorista do caminhão-caçamba, que estava internado, recebeu alta médica na tarde de ontem e voltou para casa, no bairro Colônia Santo Antônio,  na zona norte. O Terra tentou contato com Raimundo Nigueira dos Santos nesta terça-feira, mas a mulher dele informou que ele está impossibilitado de falar devido aos ferimentos. Raimundo é peça fundamental para esclarecer dúvidas em relação ao acidente.

Durante a coletiva na empresa Etacom, o advogado informou que também não falou com o funcionário devido ao seu estado, mas afirmou que, tão logo ele tenha condições de falar, será levado para depor no 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), delegacia que investiga o acidente. 

Tags: acidente, etacom, mortes, motorista, onibus

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.