Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

País

Petrobras demite primo de ex-presidente Gabrielli

Portal Terra

A Petrobras demitiu na quinta-feira (27) José Orlando Azevedo, ex-presidente da Petrobras America entre 2008 e 2012 – período em que a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, foi questionada judicialmente -, segundo o jornal O Estado de S. Paulo. A demissão ocorreu um dia depois de a publicação revelar que Azevedo era primo do ex-presidente da estatal José Sérgio Gabrielli. A refinaria de Pasadena era controlada pela subsidiária Petrobras America. Atualmente, Azevedo ocupava o cargo de diretor comercial da Transportadora Associada de Gás (TAG).

Azevedo estava à frente da subsidiária quando a Justiça decidiu que a Petrobras deveria pagar US$ 820 milhões à sócia Astra Oil, obrigando a estatal brasileira a comprar 100% das ações da refinaria de Pasadena. Funcionário de carreira, Azevedo foi indicado ao cargo pelo primo Gabrielli. Logo após a posse da atual presidente da estatal, Graça Foster, em 2012, foi substituído. Desde então, ocupava um cargo na diretoria da subsidiária de gás. Em nota, a Petrobras classificou a exoneração como uma “mudança rotineira”.

Em 2006, quando fazia parte do Conselho de Administração da petroleira, a presidente Dilma Rousseff votou a favor da compra de 50% da refinaria de Pasadena pelo valor total de US$ 360 milhões. Contudo, o preço que a Petrobras pagou à Astra Oil por 50% da refinaria foi oito vezes maior do que o valor pago pela empresa belga pela unidade inteira, no ano anterior. A Petrobras também teve de desembolsar mais US$ 820,5 milhões para concluir o negócio, pois foi obrigada a comprar os outros 50% da refinaria em função de uma cláusula que estabelecia que, em caso de desacordo, um sócio deveria comprar a parte do outro. A compra é investigada pelo Tribunal de Contas da União, Ministério Público do Rio e pela Polícia Federal.

Tags: brasil, denúncia, estatal, Petrobras, Petróleo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.