Jornal do Brasil

Terça-feira, 25 de Novembro de 2014

País

Ministro do Trabalho chora ao negar denúncias

Jornal do Brasil

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, chorou nesta quarta-feira (26) em audiência pública na Câmara ao negar envolvimento em um suposto esquema para empregar militantes do PDT como funcionários "fantasmas" da ONG ADRVale. O esquema teria tido início em 2008, quando Dias era presidente do diretório do PDT em Santa Catarina e secretário-geral da sigla. "A minha vida não vale tão pouco assim, eu tenho família, sempre atuei corretamente. Faço parte de uma geração que tentou fazer uma revolução. Perdemos. A direita ganhou e deu lugar à ditadura. Quero apenas o direito de me defender, o que essa Casa me deu ao me permitir participar dessa audiência".

Manoel Dias também disse que tomou todas as providências para cancelar o convênio com a ONG Centro de Atendimento ao Trabalhador (Ceat) quando as denúncias contra a organização foram divulgadas. "Um funcionário do ministério há 17 anos foi exonerado e está respondendo a processo decorrente da ação da Polícia Federal", destacou.

O ministro negou as informações divulgadas pela imprensa de que estaria sendo processado e investigado pela Comissão de Ética Pública da Presidência da República. "Nunca tive processo decorrente da minha atuação política nesses meus 55 anos de vida pública. A Comissão de Ética da Presidência já arquivou o processo sobre a ADRVale no ano passado. Desde agosto, [revistas] estão tentando requentar a denúncia", disse.

O ministro do Trabalho também ressaltou que, em sua gestão, não ocorreu nenhum dos fatos relatados nas ações da Polícia Federal. "Desde 2011, os contratos e convênios com irregularidades foram cancelados. Por iniciativa da nossa área técnica, a Controladoria- Geral da União (CGU) já incluiu essas ONGs no cadastro daquelas que não podem mais firmar contratos com o governo."

Tags: audiência, câmara, deputados, dias, pública

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.