Jornal do Brasil

Domingo, 23 de Novembro de 2014

País

Hage: governo já demitiu 4,6 mil agentes públicos após investigações

Agência Câmara

O ministro-chefe da Controladoria-Geral da União (CGU), Jorge Hage, afirmou nesta quarta-feira que 4,6 mil agentes públicos já foram demitidos no atual governo em decorrência de investigações realizadas pelo órgão para coibir o desvio de verbas públicas. Ele participa de audiência pública na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados sobre  denúncias de irregularidades de contratos mantidos pelos ministérios com organizações não governamentais (ONGs).

Segundo o ministro, 1.585 ONGs recebem recursos federais. Desde 2011, o número de convênios vem sendo reduzido - de 3,6 mil, naquele ano, para 1,4 mil hoje -, em razão de maiores exigências da União para a celebração desses contratos. Segundo ele,  2.690 mil organizações não governamentais estão impedidas de fazer convênio com o poder público, em razão de problemas anteriores.

Hage explicou ainda que a CGU faz tanto avaliações de programas de governo, de iniciativa própria, como auditorias investigativas, provocadas por denúncias. Ele citou especificamente as Operações Voucher, Esopo e EPA, feitas em conjunto com a Política Federal, como exemplos mais recentes.

A Operação Voucher foi destinada a dissolver esquema de desvio de recursos públicos do Ministério do Turismo. A Esopo combateu fraudes em licitações e mau uso de verbas públicas; e a EPA verificou o desvio de recursos públicos por meio do Instituto EPA – Espaço de Produção ao Desenvolvimento Sustentável e a Cooperativa dos Trabalhadores Autônomo.

Tags: audiência, controladoria, Ministro, operações, união

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.