Jornal do Brasil

Domingo, 22 de Abril de 2018 Fundado em 1891

País

Arquidiocese do Rio critica em nota projeto do PNE

Classificação por gênero contraria princípios cristãos

Jornal do Brasil

O projeto do Plano Nacional de Educação (PNE), que deverá ser votado no Congresso Nacional nesta quarta-feira (26), foi alvo de crítica da Arquidiocese do Rio de Janeiro devido à introdução da classificação dos alunos por gênero e não mais por sexo. Em nota, assinada pelo Cardeal Orani Tempesta, o projeto é considerado uma afronta às famílias brasileiras por “introduzir oficialmente no ensino nacional a revolucionária, sorrateira e perigosa ideologia de gênero”. Veja abaixo a íntegra da nota divulgada pela Arquidiocese:

Nota sobre o PNE

Depois de adiada várias vezes devido à pressão popular, a votação do Plano Nacional de Educação (PNE), a vigorar nos próximos dez anos como parâmetro ao sistema educacional brasileiro, foi marcada para a próxima quarta-feira, dia 26 de março.

                O documento a ser votado contém, no entanto, uma afronta às famílias brasileiras responsáveis pelas novas gerações, pois introduz, oficialmente, no ensino nacional a revolucionária, sorrateira e perigosa “ideologia de gênero” desmascarada mais de uma vez por estudiosos de renome.

                É importante saber que a palavra gênero substitui – por uma ardilosa e bem planejada manipulação da linguagem – o termo sexo. Tal substituição não se dá, porém, como um sinônimo, mas, sim, como um vocábulo novo capaz de implantar na mente e nos costumes das pessoas conceitos e práticas inimagináveis.

                Nesse modelo inovador de sociedade, não existiria mais homem e mulher distintos segundo a natureza, mas, ao contrário, só haveria um ser humano neutro ou indefinido que a sociedade – e não o próprio sujeito – faria ser homem ou mulher, segundo as funções que lhe oferecer.

Vê-se, portanto, quão arbitrária, antinatural e anticristã é a ideologia de gênero contida no Plano Nacional de Educação (PNE) e que por essa razão merece a sadia reação dos cristãos e de todas as pessoas de boa vontade a fim de pedir que nossos representantes no Congresso Nacional façam, mais uma vez, jus ao encargo que têm de serem nossos representantes e rejeitem, peremptoriamente, a ideologia de gênero em nosso sistema de ensino.

As formas de participação – simples, mas imprescindíveis – são as seguintes: a) assinatura em uma plataforma específica no  http://www.citizengo.org/pt-pt/5312-ideologia-genero-na-educacao-nao-obrigado e b) ligação gratuita pelo telefone 0800 619 619. Tecla “9” pedindo a rejeição à ideologia de gênero em nosso sistema educacional.

São José, patrono da família, rogai por nós!

Rio de Janeiro, RJ, 25 de março de 2014.

† Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ.



Tags: ardilosa, ensino, gênero, nacional, palavra, sexo, vocábulo

Compartilhe: