Jornal do Brasil

Quinta-feira, 2 de Outubro de 2014

País

Lula aponta razões para otimismo com o Brasil

Ex-presidente destaca criação de 11 milhões de empregos e inflação dentro da meta durante 11 anos

Jornal do Brasil

Nos últimos dias, tem sido intensa a 'plantação' de notas sobre um suposto descontentamento do ex-presidente Lula com sua sucessora Dilma Rousseff. No meio da semana, a Folha de S. Paulo atribuiu a Lula a frase de que a nota do Palácio do Planalto sobre a refinaria de Pasadena teria sido um "tiro no pé" – o que levou o ex-presidente a divulgar nota para desmentir o que chamou de "invencionices".

Neste fim de semana, notas da coluna Radar informam que Lula teria feito críticas abertas a Dilma num almoço promovido pelo banco de investimentos Merrill Lynch. No entanto, em suas aparições públicas, Lula tem se derramado em elogios à condução da política econômica. Foi o que ele fez nesta sexta-feira, ao participar da convenção do Grupo Bandeirantes, em São Paulo.

Em seu discurso, Lula lembrou as mudanças profundas pelas quais passou o Brasil na última década. Segundo ele, o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 4.4 vezes, a produção agropecuária aumentou significativamente levando o Brasil à liderança de vários setores, o fluxo de comércio exterior dobrou, o número de passageiros de avião passou de 48 para 113 milhões e o Brasil se tornou uma referência política global. Esse processo beneficiou toda a sociedade brasileira: “Do bancário ao banqueiro, do cortador de cana ao usineiro”.

O ex-presidente ressaltou ainda que o Brasil vive há 11 anos em um ambiente econômico com inflação dentro da meta estabelecida pelas autoridades financeiras. Ele lembrou que quando assumiu o governo, a inflação era mais que o dobro daquela registrada em 2013. Além disso, enquanto milhares de empregos foram destruídos no mundo nos últimos anos, o Brasil criou 11 milhões de empregos. Essas mudanças foram feitas em um ambiente democrático cada vez mais sólido, destacou Lula.

Sobre a Copa do Mundo, Lula lembrou que é importante pensar na simbologia do evento, além das divisas que chegarão ao país. Ele lembrou que muitos choraram quando o país conquistou a Copa e que ela é uma chance de projetar ainda mais o país internacionalmente. E ressaltou: “Grande parte dos gastos que estão sendo feitos se referem a obras de mobilidade, que teriam que ser feitas com ou sem Copa”.

O ex-presidente também falou da sua relação com a imprensa durante seu governo: “Ninguém pode me acusar de, durante os oito anos do meu governo, não ter sido republicano com a sociedade e a imprensa”.

Com Brasil 247

Tags: brasil, crescimento, economia, ex-presidente, otimismo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.