Jornal do Brasil

Terça-feira, 23 de Setembro de 2014

País

Com sete assassinatos por dia, Alagoas terá 992 PMs a mais nas ruas

Portal Terra

No Estado com maior número de homicídios no Brasil (sete por dia), decisão da desembargadora Elisabeth Carvalho do Nascimento, do Tribunal de Justiça de Alagoas, determina que 992 candidatos que passaram no concurso de 2006 para a Polícia Militar possam, "imediatamente" (explica a decisão), ir às ruas para o combate à escalada da violência. A desembargadora acatou recomendação da promotora Cecília Carnaúba, que entrou com a ação há três anos.

"Há mais de três anos estamos trabalhando para garantir a nomeação de 992 aprovados no concurso da PM, em 2006. Nosso Estado precisa deles para vencer a violência que aterroriza os alagoanos", explicou Carnaúba.

A decisão se baseia no princípio da isonomia: alguns dos candidatos da chamada "reserva técnica" foram chamados para trabalhar. Para o MP, todos têm de ser convocados.

“Uma das funções da jurisdição é a pacificação social e, para que isso ocorra, mostra-se a imprescindível que a decisão judicial tenha a capacidade de causar a alteração no contexto fático social atual, uma vez que se trata de nomeações de candidatos habilitados com o fim de aumentar o efetivo da força pública do Estado de Alagoas, que há muito se encontra com dificuldade de combate da crescente criminalidade que assola este Estado”, explica a desembargadora, ao citar a violência alagoana.

A Polícia Militar de Alagoas tem 6.500 integrantes. Precisaria do triplo, segundo associações militares.

Há três anos, o Governo Federal implantou em Alagoas o programa "Brasil Mais Seguro", com a proposta de reduzir a onda de assassinatos. Ano passado foram 2.260 homicídios. Nos três primeiros meses de 2014 são 411. Sete pessoas são assassinadas em Alagoas por dia e desde agosto a curva de assassinatos cresce: 151 em agosto; 180 em setembro; 184 em outubro; 214 em novembro; 230 em dezembro. Em janeiro, leve queda: 220. 191 no mês de fevereiro.

Um dos crimes de repercussão foi registrado nesta sexta-feira (21): o vigilante José Jucino da Silva, 47 anos, foi assassinado dentro de uma concessionária de veículo na mais movimentada avenida da capital, a Fernandes Lima. Os bandidos roubaram a arma dele. Números do Sindicato dos Vigilantes indicam que 22 armas foram roubadas dos profissionais e a suspeita é que elas são usadas em assassinatos.  

O secretário de Defesa Social, Eduardo Tavares Mendes, reuniu na última quarta-feira  (19) todos os representantes das polícias (incluindo federal) para  ações em conjunto contra a violência. Uma delas é o roubo a bancos: foram 23 agências assaltadas em 2014, a últimas delas neste sábado, na cidade de Pariconha, sertão alagoano. 

Em 2013, 44 agências bancárias foram assaltadas.

Tags: alagoas, polícia, ruas, segurança, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.