Jornal do Brasil

Sábado, 26 de Maio de 2018 Fundado em 1891

País

Documento da Alstom diz que secretário pediu propina em 89

Jornal do Brasil

Documento entregue por um ex-executivo da empresa francesa Alstom ao Ministério Público paulista (MP-SP) aponta que o então secretário de Energia de São Paulo, João Oswaldo Leiva, pediu propina de 10% à multinacional em 1989 - nove anos antes de estatais paulistas assinarem um contrato de R$ 263 milhões com a companhia - para que um negócio fosse fechado. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

A Alstom é suspeita de ter pagado propina a políticos e servidores públicos de São Paulo para fechar contratos de fornecimento de subestações de energia elétrica com a Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE) e a Eletropaulo. Apesar de negociações ocorrerem desde 1989, o negócio só foi concretizado em 1998, no governo de Mário Covas (PSDB).

Segundo o jornal, o documento entregue pelo executivo aponta as iniciais J.L. De acordo com a testemunha, as letras significam o nome do então secretário do governo de Orestes Quércia (PMDB). Leiva morreu em 2000.

Apesar do suposto pedido, a propina não teria sido paga, de acordo com o executivo, porque o negócio não foi concretizado.

A Alstom afirmou que não permite pagamentos ilícitos e sobrepreço, e que segue um rígido código de ética e colabora com as investigações no Brasil.

Portal Terra


Tags: SP, cartel, denúncia, propina, siemens

Compartilhe: