Jornal do Brasil

Segunda-feira, 22 de Dezembro de 2014

País

Internautas analisam o noticiário da grande mídia

Em foco as regalias aos condenados na AP 470

Jornal do Brasil

Os internautas continuam analisando o noticiário da mídia nacional e destacam as matérias tendenciosas que esquecem a imparcialidade. O foco da semana, segundo postagens nas redes sociais, foram as regalias aos condenados da ação penal 470. Enquanto os grandes veículos seguem por uma linha editorial de divulgar informações sem provas, a mídia independente tem outra versão. Veja abaixo algumas análises.

A imprensa parece ter emplacado uma agenda "das regalias" em relação aos condenados no mensalão. As notícias sobre a AP 470 giram em torno disso, nos últimos dias, com a devida anuência do Ministério Público. 

 Hoje, ao menos, há um contraponto. Título: "Defensoria diz ser contra transferência de condenados".  Segue a outra chamada: "Por causa de supostas regalias, Promotoria quer ida de presos como Dirceu e Delúbio para presídios federais". 

Em parecer encaminhado à Vara de Execuções Penais (VEP), a Defensoria Pública do DF diz que a transferência violaria a Lei de Execução Penal. Ela argumenta que presídios federais são p ara detentos em regime fechado. E que o pedido da Promotoria deveria ter individualizado a situação de cada detento. 

Segundo o jornal, caberá agora à VEP definir um posicionamento, que será comunicado ao Supremo Tribunal Federal, responsável pela palavra final. 

O texto diz que ontem, durante uma audiência na VEP, Delúbio Soares foi advertido verbalmente pelo juiz Bruno Ribeiro devido às supostas regalias. A defesa de Delbio negou qualquer regalia. 

A advertência não constará como sanção na ficha de Delúbio. Ele só seria punido em outro processo, ao ser apanhado pelo carro da CUT dentro do pátio do presídio. Outro jornal abre página com a notícia: "Delúbio é advertido de que não pode ter regalias na cadeia". O jornal carioca diz que o M P aceitou que ele retome o trabalho na CUT. O advogado Frederico Donati diz que as regalias não foram objeto nem de discussão nem de deliberação. -> O jornal paulista conta que o governo do DF vai apurar doações feitas a José Genoino. Mais especificamente, se moradores locais que fizeram doações devem impostos.

ARTIGOS E BLOGS

Eduardo Guimarães: "O que surpreende é o sucesso da grosseira farsa midiático-penal que vem sendo alardeada para todo o país, sobre supostas 'regalias' que a direção do presídio da Papuda estaria concedendo ao ex-ministro e a outros petistas condenados pelo julgamento do mensalão. Chega a ser ridículo ter que escrever este texto. Qualquer pessoa com o mínimo de honestidade intelectual reconhece que a foto divulgada pela Veja contradiz e sepulta a acusação sem provas da revista de que Dirceu estaria recebendo alimentação de boa qualidade, tal como peixadas, feijoadas e até sanduiches do McDonalds, conhecidos pelo alto teor calórico que têm e que faz qu em os consome engordar rapidamente".

http://www.blogdacidadania.com.br/2014/03/foto-de-dirceu-na-veja-desmente-farsa-sobre-regalias/

 Miguel do Rosário: "As teorias 'conspiratórias' da Ação Penal 470, de fato, são confirmadas por essa perseguição esdrúxula a réus já presos, idosos, um deles gravemente doente, que se entregaram espontaneamente às autoridades, e que não oferecem perigo nenhum à sociedade. Os membros que praticam este jogo sujo entre Ministério Público e imprensa estão apostando todas as suas fichas no linchamento dos presos petistas no mensalão. Talvez o distinto público acabe por perceber que algumas das teorias conspiratórias são mais coerentes do que muitas verdades repetidas pela imprensa, e que só tem peso à custa da tát ica da repetição".

http://www.ocafezinho.com/2014/03/18/o-ministerio-publico-e-as-teorias-conspiratorias/

 ANÁLISE DE REDES

As críticas a reportagem da Veja continuam rodando entre a militância petista, já que outros profissionais da imprensa criticaram a revista.  

 No entanto com o viés de queda. Alberto Dines, no Observatório da Imprensa, considera que o que a Veja fez "não é reportagem, é pura cascata: altas doses de rancor combinadas a igual quantidade de velhacaria em oito páginas artificialmente esticadas e marombadas. As duas nicas fotos de Dirceu (na capa e na abertura), feitas certamente com microcâmera, não comprovam regalia alguma."

 O jornal do DF prevê que a revista "responderá um processo sem precedentes" sobre a reportagem. 

O Brasil 247 amplifica postagem do blogueiro Eduardo Guimarães onde compara uma foto de Dirceu antes de ser preso com a foto da Veja e deduz que o ex-ministro não está tendo as "regalias" alardeadas pela revista, já que está bem mais magro e com semblante abatido.

 As discussões em torno do ministro Joaquim Barbosa mudaram um pouco o foco. 

 O presidente do STF tem feito visitas a alguns presídios e constatado problemas no sistema. Depois de Porto Alegre, Barbosa foi a Guarulhos e, quando questionado por repórteres, tem tecido duras críticas. Segundo o ministro, os presídios são "mais uma prova de falta de civilidade nacional."

Movimento de Joaquim Barbosa é uma clara manobra para impor uma agenda positiva e de grande apelo popular. Deve aumentar as denúncias contra o Presidente do STF.

O jornal paulista diz que o Secretário de Fazenda do DF respondeu a um ofício encaminhado pela deputada distrital Liliane Roriz (PRTB), por intermédio do ofício 02/2014, do dia 10.

"Foi uma resposta a requerimento da deputada - que é filha do ex-governador Joaquim Roriz e oposição ao PT -, no qual ela pediu informação sobre a cobrança de impostos dos doadores a Genoino, visto que em Brasília esse tipo de taxação consta da Lei 3.804/2006. A alíquota desse imposto é de 4%." O secretário argumentou que só pode cobrar o imposto de quem mora no Distrito Federal.

Alerta para este tipo de manobra que pode ser reproduzido pela oposição em outros estados, para efeito de marcar posição e manter a pauta negativa, já que nos os sites de doações constavam a orientação para o recolhimento dos impostos estaduais para os doadores. 

Tags: argumentou, impostos, manobra, presidente, secretário, STF

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.