Jornal do Brasil

Domingo, 27 de Maio de 2018 Fundado em 1891

País

Compra de refinaria pela Petrobras repercute na Câmara

Jornal do Brasil

Repercutiu na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, a notícia do jornal O Estado de São Paulo de que a presidente Dilma Rousseff, quando comandava o Conselho de Administração da Petrobras, votou a favor da compra de 50% da polêmica refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). A transação é investigada por autoridades brasileiras por ter causado um prejuízo bilionário à Petrobras.

A oposição aproveitou para questionar a capacidade de gerenciamento da presidente Dilma Rousseff que, em nota, disse que o seu voto foi justificado por um relatório falho.

>> Dilma admite falha da Petrobras em compra de refinaria nos EUA

>> Compra de refinaria no Texas foi baseada em parecer técnico falho, diz governo

O líder do DEM, deputado Mendonça Filho (PE), disse que a conta ficou para os cidadãos brasileiros que são acionistas minoritários da empresa e viram o seu investimento diminuir nos últimos anos. “Essa refinaria foi objeto de um contrato milionário, com cláusulas lesivas ao patrimônio público e contra os interesses dos acionistas minoritários”, disse.

Já o líder do governo, deputado Arlindo Chinaglia, criticou as palavras da oposição, especialmente o uso da expressão “negociata” pelo líder do PSDB. “Nem ele [o líder do PSDB] nem eu pode se dirigir desta forma, tentando colocar a presidente em suspeição quando ela foi de uma honestidade intelectual que poucos tiveram”, disse.

Chinaglia esclareceu que a refinaria de Pasadena tem dado lucro e que os prejuízos foram causados pela crise financeira. “Se o mercado mudou e, por isso, houve alteração do preço, vai brigar com o ‘Deus-Mercado’. Hoje Pasadena está dando lucro e o capital investido vai ser recuperado”, afirmou.

Com Agência Câmara



Tags: . prejuízos, compra, estatal, eua, petróleo

Compartilhe: