Jornal do Brasil

Domingo, 21 de Setembro de 2014

País

Fitch: medidas do governo elevam riscos para setor elétrico

Jornal do Brasil

Em nota divulgada nesta segunda-feira a agência de classificação de risco Fitch Ratings avalia que as medidas anunciadas pelo governo brasileiro para socorrer as distribuidoras de eletricidade "sinalizam a intensificação do risco regulatório do setor de energia do Brasil e se configuram como mais uma ação heterodoxa para ajudar o setor a lidar com uma difícil situação".

"Se por um lado as medidas são positivas para suprir as necessidades de caixa das companhias, por outro são mais um sinal de intervencionismo estatal no setor, que aumentarão o passivo do governo e pressionarão as tarifas das distribuidoras nos próximos anos", diz a nota da agência.

Ainda de acordo com a Fitch, a injeção de capital de R$ 21 bilhões a ser feita em 2014 visa prevenir pressões sobre a liquidez nas distribuidoras e o repasse de aumentos dos custos com energia por meio dos mecanismos de reajustes anuais.

As distribuidoras com maior exposição financeira negativa em janeiro, segundo a Fitch, foram Light, com R$ 127 milhões; CPFL, com R$ 106 milhões; Eletropaulo, R$ 83 milhões; Cemig, R$ 75 milhões; e Copel, com R$ 74 milhões.

"Em fevereiro de 2014, a Fitch projeta que esses gastos terão, pelo menos, dobrado para cada companhia, já que o preço de energia mensal médio é mais que o dobro dos R$ 383,67 por MWh de janeiro", concluiu a agência.

Tags: abastecimento, agência, crise, elétrica, energia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.