Jornal do Brasil

Sábado, 23 de Agosto de 2014

País

Passeio ciclístico em SP marca dia de Conscientização das Mudanças Climáticas

Agência Brasil

Um passeio ciclístico em São Paulo marcou o Dia Nacional de Conscientização das Mudanças Climáticas, lembrado hoje (16). A pedalada, com percurso de 15 quilômetros, saiu do Largo da Batata, no bairro Pinheiros, por volta das 15h, e percorreu quatro praças e parques da cidade antes de retornar ao ponto inicial. De acordo com a organização, formada pela associação de ciclistas Bike Anjo e pelo movimento Climax Brasil, a "bicicletada" é uma oportunidade para aprender uma forma simples de reduzir as emissões de carbono, além de adotar um estilo de vida mais saudável.

“O transporte é um dos principais responsáveis pela poluição do ar. Estamos vivendo efeitos climáticos extremos, como inundações, falta de chuva, seca, já estamos sentindo esses impactos e isso tem a ver com a forma que a gente vive”, destacou uma das organizadoras Evelyn Araripe, integrante do Bike Anjo e do Climax Brasil. Ela lembra que São Paulo tem como marca a forte presença do transporte individual, com quase 7 milhões de veículos. A atividade contou com o apoio da organização não governamental WWF-Brasil.

A organização do evento destacou dados do Painel Brasil de Mudanças Climáticas (PBMC) que mostram a possibilidade de as temperaturas no país aumentarem de 3 graus Celsius (ºC) a 6ºC nas diferentes regiões. As chuvas também poderão aumentar em 30% no Sul e no Sudeste e diminuir até 40% no Norte e no Nordeste. O PBMC é um organismo científico, criado pelo governo federal em 2009 por meio dos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Meio Ambiente.

Durante o passeio, os participantes fazem debates em cada um dos pontos de parada. Na praça Vitor Civita, será feita uma reflexão sobre a gestão de resíduos sólidos; na Praça das Corujas, sobre alimentação e agricultura; no Parque Villa-Lobos, sobre água; e na Praça do Pôr do Sol, sobre arborização e desmatamento. “A Praça Vitor Civita, por exemplo, tinha problemas com contaminação do solo e hoje é um espaço a base de vários recursos sustentáveis, como o uso de energia solar”, explicou Evelyn Araripe.

O produtor de vídeo Caio Caciporé, 32 anos, foi convidado por um amigo para participar da pedalada. Ele conta que atualmente usa a bicicleta como meio de transporte, mas encontra alguns entraves para manter essa escolha. “Fiquei um tempo sem ir para o trabalho de bike, porque era longe de casa, mas além disso tem a questão do perigo do trânsito e também da poluição, já que ficamos mais expostos ao lado dos carros”, explicou.

Evelyn aposta em uma atuação mais incisiva do Poder Público neste tema para favorecer a adoção da bicicleta como meio de deslocamento. “Isso passa por uma questão de postura individual, mas deve existir uma política de estímulo. Não adianta a gente insistir para que as pessoas andem de bicicleta, se não tem uma ação de educação no trânsito que garanta que as pessoas se sintam seguras ao fazer essa escolha”, avaliou. 

Tags: a questão, de casa, disso, do perigo, era longe, mas além, porque, tem

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.