Jornal do Brasil

Quinta-feira, 30 de Outubro de 2014

País

Ceagesp: caminhoneiros protestam após início de cobrança de estacionamento 

Portal Terra

Um protesto contra a cobrança de estacionamento na Companhia de Entreposto e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp), na Vila Leopoldina, zona oeste de São Paulo, causa tumulto nesta sexta-feira no local. Por volta das 10h, manifestantes contrários à cobrança da tarifa atearam fogo a caçambas, guaritas e veículos. De acordo com a assessoria da Ceagesp, quatro pessoas ficaram feridas durante uma troca de tiros entre seguranças do local e manifestantes. Uma delas teve ferimentos por arma de fogo.

Por volta das 12h, os manifestantes colocaram fogo na sede da fiscalização da companhia. Mais cedo, já haviam quebrado cabines, montado barricadas e depredado carros. Os manifestantes continuam no interior da unidade e usam pedaços de materiais de construção, que estavam sendo utilizados em uma reforma, para quebrar a sede da administração.

De acordo com a assessoria da Ceagesp, cerca de 200 pessoas participam do protesto. A empresa dispensou todos os funcionários para garantir a integridade dos trabalhadores. Os cerca de 70 seguranças da Ceagesp também se retiraram do local.

Caminhão pega fogo durante protesto
Caminhão pega fogo durante protesto

A Polícia Militar e o Batalhão de Choque estão no local para tentar conter o protesto. No entanto, não há policiais dentro da Ceagesp, apenas do lado de fora, e o Corpo de Bombeiros, impedido por manifestantes, não conseguia acessar os focos de incêndio. De acordo com informações de alguns policiais, haveria traficantes da região entre as pessoas que promovem o tumulto. 

Cerca de 50 mil pessoas circulam diariamente pelo local. Na sexta-feira, ocorre a Feira das Flores, uma das mais tradicionais da Ceagesp. Por causa do protesto, há filas de veículos formadas no acesso de entrada para o entreposto. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) pede que os motoristas evitem circular pela região.

A Ceagesp começou a cobrar ontem pelo estacionamento de veículos, e a cobrança da tarifa também está valendo para os caminhões que carregam ou descarregam mercadorias. Para carros e utilitários, a primeira hora custa R$ 6. Para motos, o valor da diária é único, de R$ 2. Os caminhoneiros pagam entre R$ 4 e R$ 5 – dependendo da quantidade de eixos do veículo – para descarregar a carga por até quatro horas.

Alguns caminhoneiros, que não quiseram se identificar, disseram que a cobrança é um absurdo porque não foi feita nenhuma melhoria no local. Além disso, segundo eles, não há espaço suficiente para os caminhões. Eles dizem que a única reforma foi a instalação de câmeras de segurança.

A Ceagesp informou que a cobrança do estacionamento é a última etapa de um processo de modernização da unidade. O objetivo é tornar mais rígido o controle do acesso de veículos e pessoas, pois foram registradas denúncias de exploração sexual dentro do entreposto. Segundo a companhia, a área tem 700 mil metros quadrados, por onde circulam diariamente 12 mil veículos por dia.

O órgão nega que a cobrança traga impactos no preço dos alimentos. Um estudo da Ceagesp aponta que o custo do pedágio representaria, em média, um acréscimo de R$ 0,02 nos produtos comercializados.

Tags: caminhão, estacionamento, manifestação, pagamento, protetso

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.