Jornal do Brasil

Sexta-feira, 19 de Dezembro de 2014

País

Boate Kiss: após críticas, prefeito suspende despejo de vigília

Portal Terra

Um dia após sofrer forte pressão dos familiares de vítimas da Boate Kiss, o prefeito de Santa Maria, Cezar Schirmer (PMDB), determinou nesta sexta-feira a suspensão da ordem de despejo da vigília mantida pelo Movimento do Luto à Luta no centro da cidade, em homenagem aos 242 mortos na tragédia.

A notificação, entregue na tarde de quinta-feira a Flávio José da Silva, cuja filha morreu na tragédia, estipulava um prazo de 72 horas para que o grupo removesse a tenda armada na praça Saldanha Marinho, no centro de Santa Maria. A justificativa era permitir “a livre circulação” de pedestres no local. Caso o prazo fosse desrespeitado, os familiares estariam sujeitos “às penalidades previstas” na legislação municipal.

A medida teve grande repercussão entre moradores e nas redes sociais, e os familiares prometiam resistir à ordem de despejo. Nesta sexta-feira, diante da pressão, o prefeito determinou a suspensão da medida.

“O prefeito destacou que a questão em si merece uma atenção especial e excepcional pela relevância e ineditismo do fato que sustenta essa forma de manifestação”, afirmou a prefeitura, justificando o recuo na ação. Segundo a prefeitura, Schirmer reconheceu que a decisão de desmontar a tenda dos familiares “tinha mérito”, mas que o caráter “excepcional” da tragédia na Boate Kiss demandaria uma exceção.

Instalada há quase um ano no local, a tenda se tornou ponto de encontro entre os familiares das vítimas e de coleta de doações. Em abril do ano passado, o presidente da Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM), Adherbal Ferreira, havia encaminhado à prefeitura um ofício solicitando a instalação da barraca na praça. Porém, segundo argumenta a prefeitura, em janeiro deste ano, o local teria passado a ser de responsabilidade do Movimento do Luto à Luta, sem que os órgãos municipais fossem oficialmente comunicados.

“A prefeitura não foi comunicada oficialmente sobre essa mudança de responsabilidade, o que também pode ter motivado essa necessidade de regularização”, disse um assessor do prefeito.

Tags: Casa, mortes, noturna, RS, Tragédia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.