Jornal do Brasil

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2014

País

Pioneiras falam sobre papel da mulher na sociedade atual

Brasileiras de diversos segmentos destacam conquistas e caminho ainda a percorrer

Jornal do Brasil

O caminho ainda é longo para a igualdade entre homens e mulheres no Brasil, mas de fato muito já foi conquistado. O avanço no mercado de trabalho é um exemplo. Metade das vagas de emprego criadas nos últimos três anos foram ocupadas por mulheres, como reforçou a primeira presidente mulher do país, Dilma Rousseff. No Jornalismo, por exemplo, o percentual de profissionais do gênero feminino subiu de 35,24% em 1986 para 53,49% em 2007. Aumentou a desigualdade em relação à renda, no entanto, segundo a PNAD 2012, divulgada pelo IBGE no final do ano passado. Em 2012, as trabalhadoras recebiam o equivalente a 72,9% (R$ 1.238) do rendimento dos homens (R$ 1.698); enquanto em 2011 esta proporção era de 73,7%.

O JB ouviu mulheres de destaque sobre o papel desempenhado na sociedade atual e também sobre o significado de um Dia Internacional das Mulheres, celebrado neste 8 de março. Data que surgiu para lembrar das 129 costureiras que morreram carbonizadas em uma fábrica em Nova York, no início do século passado, por lutarem por melhores condições de trabalho e vida. Os donos da fábrica Cotton Textile Factory haviam prendido as trabalhadoras para forçá-las a permanecer no trabalho e não aderirem à greve.

Yvonne Bezerra de Mello, fundadora do Projeto Uerê, destaca luta diária das mulheres para garantir direitos que já foram conquistados
Yvonne Bezerra de Mello, fundadora do Projeto Uerê, destaca luta diária das mulheres para garantir direitos que já foram conquistados

A carioca Yvonne Bezerra de Mello, figura já reconhecida no país, é protagonista em sua luta pela educação e transformação da realidade de crianças e jovens vitimizados. Doutora em filologia e linguística pela Universidade De Paris - Sorbonne, ela fundou e coordena o Projeto Uerê, que assiste a mais de 400 crianças com problemas de cognição devido a episódios de violência. A iniciativa surgiu após a chacina de 1993 na Candelária, no Rio, quando oito das 70 crianças com as quais Yvonne trabalhava foram assassinadas. Em 2007, ela recebeu, na Alemanha, o Prêmio Paz no Mundo e Cidadania, da União Europeia, pela metodologia aplicada pelo Uerê.

Ela ressalta que a mulher tem conquistado seu espaço nas últimas décadas, mas não sem esforço e muita luta, e que ainda é pouco. Yvonne destaca também que a violência contra a mulher cresce no mundo todo, no lugar de ser reduzida, que os salários ainda são desiguais e que a maioria dos países ainda é governada por homens. 

"Infelizmente, ainda temos que lutar diariamente para assegurarmos nossos direitos adquiridos. O papel da mulher na sociedade de hoje? De uma capacidade indiscutível. A luta? Para que tenhamos todas as mulheres do mundo com educação de qualidade para a completa abolição do machismo", reforça. 

Magda Chambriard: "Mulheres com criatividade e garra fazem do mundo um lugar muito especial"
Magda Chambriard: "Mulheres com criatividade e garra fazem do mundo um lugar muito especial"

A diretora-geral da Agência Nacional de Petróleo (ANP), Magda Maria de Regina Chambriard, foi a primeira mulher da história a ocupar o mais alto cargo da agência reguladora, em 2012. Isto no momento em que o país se vê com a possibilidade de se tornar um dos maiores produtores de petróleo, com a descoberta do pré-sal. "Neste Dia Internacional da Mulher, gostaria de dizer que as mulheres com criatividade, sensibilidade e garra fazem do mundo um lugar muito especial", declarou ao JB

A atleta Fabi, da Seleção Brasileira de Vôlei, começou a jogar aos 13 anos em uma escolinha em Irajá, no Rio de Janeiro. Um ano depois estava na equipe mirim do Flamengo. Agora é bicampeã olímpica, quatro vezes campeã do Grand Prix e pentacampeã da Superliga pela Unilever.

"Antes de mais nada, parabéns para todas nós, mulheres! Cada vez mais estamos conseguindo quebrar tabus e nos igualar aos direitos dos homens. Não tem mais essa de que isso ou aquilo é trabalho só pra homem. Acabou este preconceito! Foi um processo que vem de muitos anos e cada vez mais se fortalece. Depois de ter completado 33 anos e ter duas medalhas olímpicas, me sinto privilegiada! Espero que de, alguma forma, tenhamos conseguido motivar mais e mais mulheres a nunca desistirem dos seus sonhos e ambições", diz Fabi.

Fabi do vôlei, bicampeã olímpica, ressalta quebra de tabus e mais igualdade
Fabi do vôlei, bicampeã olímpica, ressalta quebra de tabus e mais igualdade

Anna Lydia Pinho do Amaral, da diretoria da Academia Nacional de Medicina, foi a primeira mulher no Brasil a assumir a direção de um hospital do Inamps, o Hospital de Ipanema. É médica ginecologista obstetra há mais de 30 anos, doutora em ginecologia pela UFRJ. Presidiu a Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Rio de Janeiro e faz parte da Câmara Técnica de Ginecologia e Obstetrícia do Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro.

A médica lembra que a mulher é a peça de apoio e segurança de todas as sociedades, tanto ocidentais quanto orientais, e aponta o controle da reprodução e conquistas do final dos anos 1960 e início da década seguinte como a grande revolução, decorrente da dissociação entre prazer e reprodução. O processo de urbanização e entrada no mercado de trabalho do segmento feminino na sociedade brasileira, acrescenta, foi o germe de transformações sociais e laborais antes inimagináveis em uma sociedade patriarcal e latina, de cunho eminentemente machista.

"Os progressos obtidos através das conquistas pela educação e movimentos sociais fizeram que a mulher saísse de seu quase claustro intra-familiar para as lideranças que culminaram na eleição da primeira mulher presidente do Brasil. Várias foram as conquistas em todas as áreas laborais, abrangendo todas as profissões que fizeram não mais retroceder a sociedade brasileira. Esforço, dedicação, trabalho e ternura são a síntese do feminino que hoje permeia a sociedade brasileira", acredita Anna Lydia. 

Anna Lydia também enfatiza a origem do Dia Internacional da Mulher, que veio "através do derramamento de sangue e de vidas de memoráveis mulheres que tiveram suas vidas ceifadas na cidade Norte Americana de Nova Iorque por um incêndio criminoso. (...) ato extremamente vil e desumano que marcou indelevelmente a historia do mundo ocidental."

Apesar de destacar o fato da mulher ainda ter que enfrentar a violência, pondera que houve vários avanços sociais, apesar de barbáries que ainda ocorrem em algumas sociedades. Entre as conquistas, Anna Lydia cita a promulgação da Lei Maria da Penha, nome dado à vitima de um crime bárbaro Sra. Maria da Penha Maia Fernandes, que ficou paraplégica em virtude de violência sofrida pelo seu ex-cônjuge. 

Benedita parabeniza as mulheres brasileiras que contribuem para uma sociedade mais justa, humana, fraterna e solidária
Benedita parabeniza as mulheres brasileiras que contribuem para uma sociedade mais justa, humana, fraterna e solidária

A deputada federal Benedita da Silva, nascida na favela da Praia do Pinto, no Rio de Janeiro, foi primeira mulher negra a ocupar uma cadeira na Câmara de Vereadores da Cidade do Rio de janeiro e a primeira mulher negra a chegar ao Senado Federal. Formada aos 40 anos em Estudos Sociais e Serviço Social, hoje é deputada federal. 

"Parabéns às avós, mães, filhas, esposas, trabalhadoras, todas as mulheres brasileiras, que em seis diferentes papéis, com força e determinação, têm contribuído para construir uma sociedade mais justa, mais humana, mais fraterna e solidária", ressaltou. 

Outra pioneira é Leila Mariano, primeira mulher a presidir o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ). Ela comanda mais de 600 juízes, 80 comarcas, 90 fóruns, 17 mil servidores, cinco mil terceirizados, cinco mil estagiários, com milhões de processos em andamento. "O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, representado por sua Presidente, Desembargadora Leila Mariano, presta sua homenagem às mulheres que, cada dia mais, mostram seu valor e assumem o compromisso de tornar este planeta mais justo e igualitário."

Tags: conquistas, declarações, Dia, luta, mulher

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.