Jornal do Brasil

Sábado, 29 de Novembro de 2014

País

Casa de policial rodoviário é alvo de ataque no interior de SP

Portal Terra

O município de Promissão, no interior de São Paulo, enfrentou mais uma madrugada de ataques. Nesta terça-feira, um veículo foi incendiado e a casa de um policial rodoviário atingida por coquetel molotov. Com isso, chegam a oito os incêndios criminosos registrados nas últimas 24 horas. Até as 14h20 ninguém havia sido preso pelos dois últimos ataques, informou a Polícia Civil. 

No total, além da casa, três ônibus, dois caminhões e dois veículos foram incendiados, e um coquetel molotov foi arremessado contra a base da Polícia Militar do município. A polícia trabalha com a possibilidade de os ataques terem sido encomendados pelo crime organizado, embora até agora não se tenha prova disso. Quatro adolescentes disseram em depoimentos que os atos foram de vandalismo, mas ao serem detidos pela PM contaram que estavam sendo pagos por um homem do Primeiro Comando da Capital (PCC). 

Outros ataques registrados no interior de São Paulo foram atribuídos a atos de vandalismo pela Polícia Civil. Até agora, 14 veículos foram incendiados em Promissão (7), Bauru (2), Assis (3), Ourinhos (1) Santa Cruz do Rio Pardo (1) desde a noite de domingo. Nesta última, a caminhonete de um policial militar, que estava guardada na casa do vizinho, foi destruída pelo fogo.

Em Promissão, as paredes da garagem e a porta de entrada da casa do policial rodoviário foram queimadas pelas chamas, apagadas por moradores e vizinhos. No momento do ataque, o policial, cuja identidade não foi revelada, estava em trabalho, na região de Araraquara. Testemunhas disseram que viram quando quatro rapazes arremessaram o artefato e saíram correndo. 

Pela manhã, o dono de um veículo também procurou a polícia para denunciar que seu carro, um Caravan, tinha sido queimado. Segundo ele, o carro estava na frente de oficina, onde passaria por conserto nos próximos dias.

Segundo o capitão Márcio Costa da Silva, comandante da PM na região de Promissão, o atentado contra o policial pode não estar ligado aos outros ataques. "Ele mora num bairro que concentra pontos de tráfico e pode ser que alguém quisesse se aproveitar desta onda de ataques para se vingar da presença do policial por lá", disse Silva.

De acordo com o capitão, todos ataques podem ser uma retaliação contra o trabalho da polícia em Promissão. "Prendemos 28 criminosos nos últimos 60 dias e o número de roubos caiu de 14 em janeiro para dois em fevereiro", disse. Porém, segundo ele, embora os ataques não sejam atribuídos ao crime organizado, a Polícia Militar continuar orientando seus homens sobre possíveis ataques a prédios e forças públicas do Estado e também aumentou o efetivo no município. 

O volume dos ataques fez a PM emitir comunicado para todo o Estado pedindo atenção aos policiais nos deslocamentos e abordagens nas ruas e nas bases de segurança. Segundo o alerta, o PCC pode promover onda de ataques caso seja efetivada a transferência dos líderes, entre eles Marcos Camacho, o Marcola, para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). A transferência, solicitada no último dia 27 pelo governo do Estado é uma punição contra o plano do PCC de resgatar Marcola e outros três líderes da P-2 de Presidente Venceslau.

?

Tags: interior, Policial, queimada, residência, SP, violência

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.