Jornal do Brasil

Sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

País

Adolescentes incendeiam três ônibus e dois caminhões no interior de SP

Portal Terra

Três ônibus, dois caminhões e um carro de passeio foram incendiados, e um coquetel molotov arremessado contra uma base da Polícia Militar, na madrugada desta segunda-feira em Promissão (SP), a cerca de 400 quilômetros da capital paulista. Os ataques, que ocorreram em pontos diferentes da cidade, entre a meia-noite e as 2h deste domingo, podem estar ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC). 

A Polícia Civil deteve três adolescentes, de 13, 14 e 16 anos, e prendeu Luís Renovato da Silva Júnior, 18 anos, que confessaram os ataques. Na delegacia, os quatro disseram que fizeram os ataques por vandalismo. Eles contaram que saíram pelas ruas ateando fogo em ônibus e, não satisfeitos, também passaram a atacar caminhões e carros de passeio. No final, arremessaram um coquetel molotov a uma base da PM. No entanto, ao serem detidos, eles contaram aos PMs que tinham sido recrutados na escola por um homem desconhecido e receberiam R$ 150 cada um pelos ataques.

O delegado Marco Aurélio Pavanelli, que atendeu a ocorrência, disse que a polícia investiga a possibilidade de os quatro jovens terem agido a mando de outros adultos e que não descarta a possibilidade de o PCC estar por trás dos ataques. "Isso pode ter ocorrido, embora no depoimento eles digam apenas que fizeram tudo por conta própria", disse o delegado.

"Eles disseram para a PM que foram contratados pelo PCC. Mas por que tiveram de escolher justamente o nosso carro?", lamentou Renata Stâncio, moradora do Jardim Alvorada, que teve o Vectra da família queimado parcialmente. "A sorte é que a gente estava na sala e com cheiro da fumaça, decidimos sair", contou o operário Genilson Stâncio, marido de Renata. "Este é o único patrimônio da família, agora nem sei como vou fazer para consertar os estragos", contou.

Antes de tentar por fogo no Vectra, os quatro já tinham incendiado três ônibus que transporta trabalhadores para uma usina da cidade. Dois deles foram totalmente destruídos. "Quando acordei, o ônibus já estava pegando o fogo. Deu um desespero, mas não pude fazer nada", contou o motorista Marcos Gonçalves, morador no bairro Nosso Teto, cujo ônibus não tinha seguro.

Já o motorista Luís Henrique de Oliveira Júnior teve mais sorte. "Acordei com barulho e quando saí vi o ônibus pegando fogo por dentro. Minha mulher não queria, mas consegui entrar no veículo, pegar o extintor e apagar as chamas", contou Oliveira Júnior. Segundo ele, o ônibus é de propriedade da usina indiana Renuka, que possui uma unidade no município.

Quem não teve a mesma sorte foi o caminhoneiro Rafael Aragão, morador do Jardim Bom Viver. Ele viajaria esta manhã para levar uma carga ao interior da Bahia mas, ao acordar, encontrou a cabine da carreta totalmente destruída pelo incêndio. Outro caminhão, pertencente a uma transportadora, também foi parcialmente incendiado no bairro.

Os adolescentes foram enviados para o Juizado de Menor e devem ser recolhidos para na Fundação Casa. Dois deles já tinham passagens por roubo e furto. O adulto, Luís Renovato da Silva Júnior, não tinha passagens pela polícia, mas foi preso em flagrante.

 

Tags: Atos, coletivos, Queima, são paulo, vandalismo

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.