Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

País

Chioro: aumento no repasse a cubanos é aperfeiçoamento do Mais Médicos

Jornal do Brasil

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, anunciou, em entrevista coletiva nesta sexta-feira (28), a elevação, a partir de março, dos recursos líquidos que são repassados aos médicos cubanos que participam do programa Mais Médicos. O novo valor, US$ 1.245 (cerca de R$ 3 mil), teve como base a quantia paga aos médicos residentes. Os profissionais ainda recebem dos municípios ajuda de custo, como alimentação e moradia.

“Os médicos cooperados em Cuba são pagos pelo governo cubano com os recursos que o governo brasileiro transfere para OPAS (Organização Pan-Americana da Saúde). E recebemos uma clara determinação da presidenta Dilma que mobilizou um esforço grande para que pudéssemos garantir aos médicos cooperados cubanos no Brasil um valor efetivamente pago a eles maior do que aquele que vinha sendo disponibilizado”, afirmou.

Segundo Chioro, o aumento do valor repassado é um aperfeiçoamento do programa, que vai auxiliar ainda mais a presença e o trabalho dos médicos cubanos no Brasil.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, anuncia reajuste salarial para os cubanos que fazem parte do Mais Médicos
O ministro da Saúde, Arthur Chioro, anuncia reajuste salarial para os cubanos que fazem parte do Mais Médicos

“Esse recurso fica livre pra ele ou ela fazer o conjunto de outras atividades que quiser fazer na vida. Isso vale pra cada um de nós. Quando tem aumento, a pessoa decide o que fazer. Isso é garantia de que os cubanos vivem de forma livre no Brasil, que podem fazer o que quiser com o dinheiro. Nossa competência é garantir as condições adequadas para que o programa possa ter êxito, atender a população, atingir as metas e garantir o acesso à atenção básica”, concluiu.

Chioro fez questão de ressaltar que não houve aumento dos valores repassados pelo governo brasileiro pela cooperação internacional. “Não vamos gastar um centavo a mais. Vamos continuar pagando o mesmo valor”, disse. O que houve, segundo ele, foi uma alteração nos valores acordados no contrato com o governo cubano.

O ministro rebateu a ideia de que o anúncio do reajuste seria uma resposta à pressão de médicos cubanos como Ramona Rodríguez, que abandonou o programa. “Não há, da nossa parte, nenhuma questão que envolva diretamente pressão dos próprios médicos cubanos, muito menos daquela profissional. Não é o que nos mobiliza. O que nos mobiliza é a necessidade de aprimorar”.

Ainda sobre o programa Mais Médicos, Chioro reforçou que o governo brasileiro cumprirá a meta estabelecida pela presidenta Dilma Rousseff de contar com 13 mil profissionais até o fim de abril. Hoje, 6.650 médicos atendem pelo programa, e com a implantação do 3º ciclo, entre fevereiro e março, já serão 9.425 profissionais atuando em todo o Brasil.

Tags: federal, Governo, programa, SAÚDE, vagas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.