Jornal do Brasil

Quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

País

Mensalão tucano: Azeredo apresenta defesa ao STF 

Jornal do Brasil

O ex-deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) protocolou nesta quinta-feira (27) no Supremo Tribunal Federal (STF) sua defesa final no processo do mensalão tucano, em que é acusado pelo Ministério Público dos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. O teor da defesa não foi revelado pelo advogado Gerardo Grossi, que representa Azeredo.

O relator da ação penal no STF é o ministro Luís Roberto Barroso, que vai submeter ao plenário a decisão de manter ou não o processo no tribunal.

>> Eduardo Azeredo renuncia ao mandato de deputado federal

>> Mensalão tucano: ministro-relator vai analisar renúncia de Azeredo

>> Barroso quer decidir destino do mensalão tucano após o Carnaval

>> Com renúncia de Azeredo, mensalão tucano deve ir para a Justiça comum

O ex-parlamentar é acusado de desvio de recursos públicos para sua campanha à reeleição para governador de Minas Gerais, em 1998. Na semana passada, Azeredo renunciou ao cargo de deputado federal. 

No último dia 7, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao relator da AP 536, ministro Roberto Barroso, as alegações finais do processo, nas quais recomenda que Eduardo Azeredo seja condenado pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro a penas que somariam 22 anos de prisão, mais multa de R$ 451.052 (623 dias/multa). 

O chefe do Ministério Público afirma, nas alegações, que o atual deputado e ex-governador provocou uma "subversão do sistema político-eleitoral, usando a máquina administrativa em seu favor de forma criminosa e causando um desequilíbrio econômico financeiro entre os demais concorrentes ao cargo de governador de Minas Gerais em 1998".

Tags: ação, eduardo, MINAS, penal, ulgamento

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.