Jornal do Brasil

Sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

País

Justiça aumenta multa a rodoviários em greve em Curitiba

Portal Terra

A juíza Ana Carolina Zaina, do Tribunal Regional do Trabalho, ampliou de R$ 10 mil para R$ 100 mil a multa diária a ser aplicada ao Sindicato dos Motoristas e Cobradores (Sindimoc) por descumprimento de determinação judicial, e reduziu para 40% no horário de pico e 30% nos demais horários o percentual mínimo de frota em operação durante a greve do transporte público de Curitiba.

A greve dos motoristas e cobradores começou à 0h desta quarta-feira, com a paralisação de 100% da frota. Na terça-feira, a juíza Ana Coelho havia determinado frota mínima de 70% nos horários de maior demanda e 40% nos demais horários. Até o início desta tarde, a paralisação se mantém em 100%, a despeito das decisões da Justiça.

Com a paralisação total dos ônibus, a Urbs (autarquia que administra o transporte público da capital paranaense) abriu cadastramento de veículos particulares para fazer transporte alternativo. Até o meio-dia desta quarta-feira estavam cadastrados 260 veículos, a maioria deles vans, além de 10 micro-ônibus e um ônibus. Os carros autorizados circulam com um pequeno cartaz informando tratar-se de lotação, com o carimbo da Urbs, e podem cobrar no máximo R$ 6 por passageiro.

Motoristas de veículos não autorizados pela Urbs flagrados fazendo transporte alternativo ou cobrança de valores acima de R$ 6 estão sujeitos a penalidades previstas no Código Brasileiro de Trânsito. Para fazer o cadastramento, o motorista precisa estar com a documentação pessoal e do veículo em dia e com o carro em boas condições.

Tags: capital, multas, paralisação, paraná, rodoviários

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.