Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

País

Testes reprovam água usada para consumo na Vila Olímpica de Manaus

Agência Brasil

Pela terceira vez, desde agosto do ano passado, a água usada para consumo humano na Vila Olímpica de Manaus (AM) foi reprovada em testes feitos pela prefeitura. O último laudo, elaborado a pedido da Secretaria Municipal de Saúde e entregue hoje (24) à vila, aponta que em três dos sete pontos (como bebedouros e pias usadas para preparação de alimentos) analisados no dia 16 de janeiro a água apresentou cloriformes totais e bactérias contaminantes. Além disso, em todos os pontos analisados havia ausência de cloro, substância usada para desinfecção e para tornar a água potável. A vila é frequentada por atletas locais e de alto rendimento.

“Apesar de ruim, a situação é melhor do que a identificada em exames anteriores”, disse a chefe da Vigilância de Água, Solo e Ar da prefeitura de Manaus, Jocilene Galucio Barros. Na primeira coleta, feita em 22 de agosto de 2013, foram analisados cinco pontos. “Quatro deles apresentaram cloriformes totais e bactérias contaminantes, além de ausência de cloro”, informou a integrante do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica.

Com a constatação, foi determinada a ampliação da análise para sete pontos da Vila Olímpica. A segunda análise foi feita no dia 6 de novembro do mesmo ano. “Todos os pontos estavam contaminados, bem como foi constatada novamente a ausência de cloro na água”, acrescentou. “Já na terceira coleta, feita em janeiro, houve melhora. Dos mesmos sete pontos, três apresentaram contaminação. Essa melhora nos permite concluir que algumas das providências sugeridas já foram adotadas”, disse.

O lamentável, segundo Jocilene, é que até hoje não foi feita a aplicação de cloro. Em todos os exames, não foi encontrado cloro, quando o padrão para consumo humano é entre 0,2 miligrama e 2 miligramas por litro de água. “Tendo cloro e manutenção preventiva do sistema, será possível ter água de qualidade”, disse.

Jocilene explica que todas as análises – físicas, químicas e biológicas – foram feitas em bebedouros ou em pias usadas para a preparação de alimentos. “A frequência [dessas análises] aumenta quando identificamos problemas. Por isso, apesar de metade dos pontos estar dentro do padrão [segundo a análise mais recente], novos exames serão feitos já na próxima semana”, informou. Normalmente, esse tipo de teste é feito bimestralmente.

Tags: água, bactéria, CONTAMINAÇÃO, s manaus, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.