Jornal do Brasil

Sábado, 27 de Dezembro de 2014

País

PT recorre ao plenário do STF contra Gilmar Mendes

Presidente do partido, Rui Falcão entrou com recurso nestaquarta-feira

Brasil 247

O Partido dos Trabalhadores não desistiu de questionar, no Supremo Tribunal Federal (STF), as acusações do ministro Gilmar Mendes sobre as campanhas de arrecadação organizadas pela internet para pagar as multas dos condenados na Ação Penal 470. Gilmar sugeriu ao Ministério Público que investigue as 'vaquinhas', que, segundo ele, podem ser fruto de "lavagem de dinheiro".

O presidente do PT, Rui Falcão, entrou nesta quarta-feira 19 com recurso para que o plenário da corte avalie o prosseguimento da interpelação judicial que questiona se as acusações do ministro são ofensivas. O processo foi apresentado anteriormente, mas julgado pelo ministro Luiz Fux, que o arquivou. Fux concluiu que a ofensa, se houvesse, seria contra os doadores das campanhas, e não contra o partido em si.

Desde então, os doadores têm organizado, pela internet, entrar com uma interpelação judicial nos mesmos moldes de Rui Falcão. A ação será movida pelo escritório Alonso Freire Chryssocheris Advogados Associados, de acordo com o blogueiro Eduardo Guimarães, que lidera a iniciativa. "Será uma ação coletiva, visando reduzir custos. Além disso, não haverá pedido de indenização, apenas pedido de explicações ao ministro Gilmar Mendes", disse Guimarães, do Blog da Cidadania.

Juntos, o ex-deputado José Genoino e o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares arrecadaram mais de R$ 1,7 milhão. O excedente arrecadado por Delúbio foi transferido ao ex-deputado João Paulo Cunha, que também já pagou sua multa. Atualmente, o ex-ministro José Dirceu arrecada doações pelo site Eu Apoio Zé Dirceu, que até o final da tarde desta terça-feira 18, havia arrecadado mais de R$ 500 mil. Somando os excedentes das campanhas dos correligionários, o ex-ministro soma R$ 643 mil.

Tags: apenas, de, de indenização, explicações, pedido

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.