Jornal do Brasil

Quinta-feira, 24 de Abril de 2014

País

Ministro diz que setor de saúde está pronto para a Copa

Agência Brasil

A estrutura de saúde montada para a Copa do Mundo de 2014 não necessitou de verba específica do governo federal, mas de uma reorganização dos investimentos que estavam previstos. A informação foi dada na manhã deste sábado (15/02) pelo ministro da Saúde, Arthur Chioro, durante conferência sobre saúde médica para a Copa do Mundo, organizada pela Fifa, em um hotel da Zona Sul paulistana.

De acordo com o ministério, 10 mil profissionais da área de saúde foram capacitados para a Copa. As 12 cidades-sede contarão com 531 unidades móveis do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, 66 Unidades de Pronto Atendimento e 67 hospitais, que funcionarão de forma integrada. Além da estrutura para atender os torcedores, o ministério informou ter criado planos de contingência para atender a acidentes com múltiplas vítimas.

Chioro disse que o número de atendimentos médicos durante a Copa do Mundo não deve alterar a rotina dos hospitais e unidades de saúde porque a expectativa é que de 1% a 2% de torcedores necessitem de algum cuidado médico, sendo que 99% da demanda costuma ser atendida no próprio estádio.

O perfil do público esperado para a Copa são adultos, entre 25 e 49 anos de idade, que, em geral, são saudáveis e não necessitam de cuidados especializados de saúde. Na Copa das Confederações, ano passado no Brasil ocorreram 1.598 atendimentos médicos, sem qualquer registro de caso grave. Do total, 98% das pessoas foram atendidas no próprio estádio.

Nas arenas e intermediações (até dois quilômetros de distância), a Fifa será a responsável pelos atendimentos de emergência de jogadores e torcedores. Segundo a federação, o número de postos de atendimento vai variar de acordo com a capacidade de cada estádio, cumprindo a legislação brasileira e as normas internacionais de segurança.

Para auxiliar os torcedores e os estrangeiros sobre a saúde no país, o Ministério da Saúde criou um site, disponível em quatro línguas (inglês, português, francês e espanhol) onde é possível encontrar orientações sobre hábitos saudáveis, cuidados de saúde e um guia de serviços. Será criado também um aplicativo, acessado por celular, que fornecerá informações úteis sobre saúde.

O diretor médico da Fifa, Jiri Dvorak, informou que todos os jogadores das 32 seleções passarão, pelo menos uma vez, pelo exame antidoping. "Vamos testar todos os jogadores pelo menos uma vez antes do primeiro jogo", disse ele. O último caso de dopping descoberto em uma Copa do Mundo foi o do jogador argentino Diego Maradona, em 1994, pego pelo uso de cocaína.

Dvorak anunciou que os jogos da Copa disputados em dias e horários de muito calor sofrerão paradas técnicas, para  que os jogadores descansem e sejam hidratados. Segundo ele, a quantidade de paradas técnicas será decidida uma hora antes de cada jogo. A grande preocupação é com sete jogos, principalmente as marcadas para as 13h. 

Tags: 2014, Copa, hospitais, planejamento, SAÚDE

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.