Jornal do Brasil

Sexta-feira, 25 de Julho de 2014

País

Lula lança Pimentel ao governo de MG e ataca Aécio e Anastasia

Portal Terra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou, na noite desta sexta-feira, em Belo Horizonte, do lançamento da pré-candidatura do ex-ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, ao governo de Minas Gerais. O evento aconteceu no ginásio do Colégio Pio XII, e contou com a presença do presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Rui Falcão, do ex-ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Patrus Ananias, entre outros integrantes de legenda e cerca de três mil militantes, que comemoraram ainda o aniversário de 34 anos de fundação do partido. A convenção que confirmará a escolha de Pimentel ocorrerá em junho.

Ex-prefeito da capital mineira, Pimentel deverá ter como principal adversário na disputa pelo Palácio Tiradentes o ex-ministro das Comunicações no governo Fernando Henrique Cardoso, e também ex-prefeito de BH, Pimenta da Veiga (PSDB), que terá a pré-candidatura lançada no próximo dia 20. Além de vencer a eleição e tomar dos tucanos o governo mineiro, Pimentel terá como missão fazer da campanha eleitoral dele palanque em Minas para a presidente Dilma, que vai tentar a reeleição ao Palácio do Planalto. Do outro lado, Pimenta da Veiga também terá a tarefa de sair vitorioso puxando votos para o senador Aécio Neves, pré-candidato à presidência da República. 

Apesar de a campanha eleitoral ainda não ter começado, Fernando Pimentel já deixou o cargo no governo federal para se dedicar ao que ele chamou de caravana da participação, que vai percorrer o Estado durante a campanha eleitoral. Em seu discurso, Pimentel deixou claro que o partido irá fazer uma campanha focada na comparação de projetos políticos e feitos das duas legendas, e que responderá a todas as possíveis provocações dos adversários, principalmente nas redes sociais.

"Vamos fazer uma disputa de ideias, um debate de propostas. Não vamos praticar as baixarias, calúnias e agressões que praticam contra nós. Vamos responder com a verdade, serenidade e transparência, fazer uma campanha limpa e vitoriosa no final," avisou Pimentel, confirmando o que falou pouco antes o presidente nacional do PT, Rui Falcão: "O PT não vai apanhar calado," disse Falcão.  

O ex-presidente Lula foi mais direto no ataque aos adversários, que segundo ele, terão que "correr muito e suar a camisa" para vencer as eleições deste ano. Lula cutucou diretamente o senador Aécio Neves, que para o ex-presidente percorreu o Estado e conhece menos os problemas de Minas Gerais do que ele. "Eu acho que o ex-governador não viajou em Minas o tanto que eu viajei", alfinetou. "E eu viajei porque, se a gente atender somente quem frequenta os palácios, cometemos os mesmos erros das elites, que é governar para as elites", afirmou.  

Lula disse que virá com frequência a Minas Gerais porque quer ajudar a eleger o primeiro governador petista, assim como ajudou a eleger a primeira mulher presidente. E disse que os tucanos já estão preocupados com a sua vitalidade. "Parece que desse mal (câncer) não me vou, para a desgraça dos nossos adversários e para a sorte dos nossos aliados e candidatos." "Quando eu era presidente eu estava mais gordo e mais cansado, agora que estou mais preparado, eles vão ter que correr muito atrás de nós", brincou o ex-presidente, que usava uma camisa da cor do partido. "Estou com uma camisa vermelha, o vermelho do nosso sangue e não o amarelo da hepatite dos nossos adversários." 

O ex-presidente acusou ainda os tucanos de espalharem notícias ruins e pessimistas sobre a economia brasileira e de omitir os investimentos do governo federal no Estado: "Quando eu cheguei aqui, vi uma faixa com a frase 'Dilma chega de mentira, cadê o dinheiro do metrô?' Eu digo que o dinheiro do metrô está esperando o governo de Minas Gerais apresentar um projeto para a gente fazer o metrô. Se apresentar o projeto, o dinheiro tem, porque somos republicanos, mas não somos tontos de liberar o dinheiro sem o projeto", atacou, enumerando alguns programas tocados pelo governo mineiro que, segundo o ex-presidente, são financiados pelo governo federal. "O Luz para Todos virou o quê? Luz de Minas, Clarear? O programa do leite era outro nome, e aí vai", ironizou, enumerando em seguida os feitos dos governos petistas nas áreas da educação, logística, reforma agrária e principalmente economia, área que para o ex-presidente está equilibrada e fora de risco. "A gente não vai voltar deixar a inflação", prometeu. "Quando eles governavam, a inflação era 80% ao mês, não era ao ano, e o nosso partido e nossos aliados reduziram para menos de 6% ao ano, e isso incomoda." 

O governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia, também foi alvo de Lula, que o acusou de não cumprir a Constituição Federal que determina o investimento de pelo menos 12% da arrecadação na área da Saúde e ainda de não pagar o piso salarial mínimo determinado por uma lei federal aos professores da rede estadual. Lula disse ainda que Anastasia segue a cartilha dos tucanos, que governam contra a população. "Não podemos esquecer que foi o partido desse governador que tirou a CPMF (imposto sobre transações financeiras que era destinado para investimentos em saúde, extinto no segundo mandato do ex-presidente). "Eles(oposição) prejudicaram a parte mais pobre da população." 

Lula terminou dizendo que apoia os protestos que tomaram conta do País desde junho do ano passado, mas pediu que as manifestações sejam "responsáveis". “As pessoas me perguntam ‘Ô Lula, vai ter protesto?’ Eu nasci na vida fazendo protesto, eu não vi meus filhos crescer porque estava na rua fazendo protesto, mas os protestos precisam ser responsáveis, ainda mais com as redes sociais, que as pessoas precisam ter mais responsabilidade. Nós não podemos entrar no jogo baixo da internet. Temos que aproveitar a internet não para falar bobagem, mas elevar o nível," pediu.

Tags: 2014, campanha, Eleições, Lula, MINAS

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.