Jornal do Brasil

Sábado, 20 de Dezembro de 2014

País

Deputado que disse que gays e índios 'não prestam' nega preconceito

Portal Terra

Alvo de críticas após ter um vídeo divulgado em que afirma que quilombolas, índios, gays e lésbicas são "tudo que não presta", o deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS) publicou nesta quinta-feira um texto no Facebook em que se defende das acusações de preconceito e homofobia. O vídeo, feito durante um encontro de ruralistas gaúchos em novembro do ano passado, foi editado e publicado pelo Greenpeace no YouTube nesta quarta.

"Eles utilizaram a minha fala, feita no calor do debate, em que expus e reafirmo aqui, que é na Secretaria Geral da Presidência da República, comandada por Gilberto Carvalho, que estão os atos mais podres e fétidos desse governo petista, para insinuarem que sou homofóbico e racista", escreve Heinze.

O deputado afirma que em momento algum se posicionou contra o ser humano e "suas crenças, cor ou opção sexual", e diz que sua crítica tinha como alvo principal os movimentos que "colocam em risco a segurança pública." Ele também cita o caso da morte do cinegrafista da Rede Bandeirantes Santiago Andrade, morto durante um protesto no Rio de Janeiro, e tenta explicitar seu temor com a "estabilidade do País".

"Minha reação, e o contexto do vídeo deixa claro, que me referi aos movimentos que colocam em risco a segurança pública e a própria estabilidade do País. Jamais passou por minha cabeça ofender qualquer pessoa. (...) É essa minha indignação: o próprio governo patrocinando quem quer desestabilizar o Brasil", termina o texto.

Tags: Críticas, Gays, homofobia, político, quilombolas

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.