Jornal do Brasil

Domingo, 20 de Maio de 2018 Fundado em 1891

País

Senadores cobram punição dos responsáveis pela morte de cinegrafista

Jornal do Brasil

Vários parlamentares se manifestaram nesta segunda-feira (10) sobre a morte do cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Ilídio Andrade, atingido na cabeça por um rojão quando cobria manifestação contra o aumento das passagens de ônibus no Rio de Janeiro.

Santiago, que tinha 49 anos, foi ferido na última quinta-feira (6) e se encontrava desde então em estado grave, sob tratamento intensivo. Na manhã de hoje, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio comunicou que o repórter cinematográfico recebeu diagnóstico de morte cerebral.

Para a senadora Ana Amélia (PP-RS), a morte de Santiago “não pode ficar impune”. Em pronunciamento no Plenário, ela defendeu o direito amplo à livre expressão, mas sem “barbarismo e violência, que é inaceitável sob todos os aspectos”.

Alvaro Dias (PSDB-PR) pediu “providências drásticas” contra quem protesta fazendo uso da violência. Ele sugere que a polícia identifique essas pessoas e as impeça de se manifestar. Na sua opinião, tais manifestantes criaram um clima de “insanidade” e “tumultuam para evitar que manifestações democráticas e pacíficas possam ter o apoio da sociedade”.

Paulo Paim (PT-RS) disse que apoiou as manifestações deflagradas em junho de 2013 "desde o primeiro momento", mas lamenta a radicalização dos protestos, pela adoção de métodos violentos. No seu entender, isso está tirando o apoio da opinião pública às manifestações. "No mínimo, é um ato de insanidade, de burrice e ainda tira a vida de outros", resumiu.

Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) ressaltou a necessidade de o Estado garantir a segurança daqueles que, por dever profissional, são obrigados a acompanhar os atos de protesto que se tornaram frequentes no país desde junho do ano passado.

Cristovam Buarque (PDT-DF) defendeu a “punição exemplar” dos responsáveis, mas entende que, “além de punir quem foi o culpado por essa morte, é preciso entender por que os meninos estão indo para as ruas”, sem o quê outros casos semelhantes virão.

"Por que um garoto se transforma em bandido ao pegar um foguete e usar dessa maneira criminosa? O que está acontecendo neste país que as pessoas estão tão violentas?", questionou.

Agência Senado


Tags: Atos, Rio, protestos, ruas, vandalismo

Compartilhe: