Jornal do Brasil

Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

País

Perseguição aos médicos cubanos continua

Paciente poderia morrer se não recebesse atendimento

Jornal do Brasil

Um paciente em estado grave foi atendido por um médico cubano, do programa Mais Médicos, porque o plantonista que deveria estar no Hospital de Candiota (RS) não tinha comparecido ao trabalho. Por esse atendimento, o médico cubano está sendo acusado pelo Sindicato dos Médicos do Rio Grande do Sul e pelo Conselho Regional de Medicina de cometer uma “grave” irregularidade e pedirão o descredenciamento do profissional que salvou uma vida.Com essa atitude, as entidades representativas dos médicos na região de Campanha, onde o fato ocorreu, relegaram o paciente a uma mera formalidade de trabalho.

Os representantes do Conselho Regional e do Sindicato dos Médicos alegam que o cubano não poderia fazer nenhum tipo de atendimento a pacientes em hospitais porque a atuação dos profissionais do Mais Médicos se limita aos atendimentos ambulatoriais. Nos casos em que há risco de morte, por esse entendimento, o paciente deve morrer ao invés de ser atendido.

De acordo com a administração do Hospital de Candiota, a decisão de chamar o médico cubano foi tomada pelo gerente administrativo do hospital por conta do não comparecimento ao trabalho do médico plantonista. Segundo o diretor técnico do hospital, Alexandre Davila, o médico cubano solicitado para fazer o atendimento de emergência não prestou nenhum outro tipo de atendimento no hospital. Sua atuação se restringiu a esse caso devido a ausência do médico que trabalha no hospital.

De acordo com a prefeitura de Candiota, a assistência prestada pelo médico cubano foi autorizada pela Secretaria de Saúde do município porque o paciente se encontrava numa situação de vida ou morte. O prefeito de Candiota, Luiz Carlos Folador, afirmou que o município cumpre todas leis e normas, mas não pode ser conivente com uma postura que coloca me risco a vida das pessoas. “A lei da vida, a lei dos direitos humanos, estão acima de todas as outras”, disse ele. 

Tags: candiota, leis, mais médicos, médico cubano, normais, programa, risco de morte, sindicato dos médicos

Compartilhe:

Comentários

1 comentário
  • Aline brasil

    Eu acho essa perseguição aos médicos cubanos uma grande idiotice, afinal não é culpa deles que estamos com a saúde em decadência.

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.