Jornal do Brasil

Quinta-feira, 31 de Julho de 2014

País

Na posse de novos ministros, Dilma anuncia mais trocas até o fim do mês

Jornal do Brasil

Com a posse de quatro novos ministros, a presidente Dilma Rousseff deu início nesta segunda-feira(3) às primeiras mudanças deste ano em seu governo e anunciou que, até o fim do mês, novas trocas irão ocorrer. Segundo ela, as substituições atendem ao desejo dos ministros de se candidatarem nas próximas eleições, em outubro.

“As mudanças nos ministérios são, numa democracia, inevitáveis, principalmente em alguns momentos. Alguns de nossos ministros decidiram buscar nas urnas a oportunidade de assumir novas tarefas executivas”, disse, citando Alexandre Padilha, que deixou a pasta da Saúde, e Gleisi Hoffmann, de saída da Casa Civil, que serão candidatos aos governos de São Paulo e do Paraná, respectivamente.

Os quatro novos ministros empossados foram: Aloizio Mercadante, na Casa Civil; Thomas Traumann, na Secretaria de Comunicação Social; Arthur Chioro, no Ministério da Saúde; e José Henrique Paim, no Ministério da Educação. Durante a cerimônia, Dilma afirmou que as mudanças não alteram a linha de atuação das pastas e que os novos ministros têm como missão continuar garantindo direitos e implementando políticas que vão permitir que cada brasileiro, com seu esforço próprio, apoio das famílias e dos programas sociais, persista e construa um futuro melhor.

Dilma dá posse a quatro novos ministros
Dilma dá posse a quatro novos ministros

“Aos novos ministros, peço que atendam fundamentalmente a uma orientação que merece ser repetida. Trabalhar, trabalhar muito, trabalhar pelo Brasil e pelos brasileiros. Temos metas importantes a atingir e compromissos que devem ser cumpridos este ano. Somos um governo que tem responsabilidades e cumpriremos com empenho e trabalho todas as nossas tarefas até o dia 31 de dezembro. Nesse período, estamos decididos a melhorar cada vez mais a qualidade dos serviços oferecidos. Toda conquista, em um país como o nosso, é só um começo”, ressaltou a presidente.

Durante o discurso, Dilma Rousseff lembrou uma série de conquistas dos últimos três anos, tais como a manutenção do crescimento econômico e o aumento da geração de empregos e da inclusão social.

“Chegamos ao quarto ano de mandato seguindo as diretrizes que nos propusemos durante a campanha e também desde a posse. Os nossos objetivos foram claros. Nos queríamos manter os fundamentos macroeconômicos com crescimento da economia, manter todo o processo de inclusão desde 2003 com a eleição do Lula, manter o nosso país liderando a redução da desigualdade no mundo (…) e a manutenção da geração de empregos, mesmo numa situação de crise, da maior crise econômica internacional desde 1929?, acrescentou.

Durante a cerimônia de posse, a presidente agradeceu o trabalho de Gleisi Hoffmann e destacou o acompanhamento feito pela ex-ministra do Programa de Investimentos em Logística (PIL) que, desde 2013, vem promovendo concessões de infraestrutura em rodovias, ferrovias, aeroportos e portos brasileiros.

Dilma disse ainda que vai precisar de todo o talento do novo ministro da pasta, Mercadante, para assumir a chefia dos programas de uma pasta que que ela considera “tão estratégica para governo e país”.

A presidente destacou a importância de programas coordenados pelo ex-ministro Alexandre Padilha. “O grande destaque mesmo é o Mais Médicos, porque tem um papel fundamental, que é resgatar a essência do Sistema Único de Saúde que implantamos quando da Constituição [Federal] de 1988, que é a garantia do tratamento humano a todos brasileiros e brasileiras”, ressaltou a presidente.

Dilma deu as boas-vindas a Chioro e lembrou que esta não será a primeira passagem do médico pelo Ministério da Saúde. Entre 2003 e 2005, Chioro participou da implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), “elemento fundamental de atendimento de emergência e urgência”, segundo ela.

O novo ministro da Educação, José Henrique Paim, também foi lembrado pela presidente. “O Paim tem só uma missão: agir com a mesma competência que agiu nos últimos anos como secretário executivo do Ministério da Educação”, disse Dilma, se referindo aos oito anos em que ele ocupou o segundo posto mais importante da pasta.

Ao agradecer a dedicação de Helena Chagas na Secretaria de Comunicação Social, a presidente Dilma destacou o trabalho “sério” e “competente” da jornalista, com quem trabalhou por quatro anos, desde a campanha presidencial.

Sobre o novo ministro da Secom, Thomas Traumann, a presidente destacou conhecer sua capacidade e disse que ele “saberá manter no exercício da sua função a relação de respeito” que o governo federal “sempre teve com a imprensa”.

Com Agência Brasil

Tags: ministérios, mudanças, plansalto, posse, presidente

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.