Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Setembro de 2014

País

SP: contra rolezinho, PM aborda repórteres em shopping

Portal TerraJanaina Garcia

Policiais militares escalados para acompanhar um suposto rolezinho no Shopping Interlagos, zona sul de São Paulo, apreenderam documentos para “cadastrar” jornalistas e usaram uma arma durante a revista de um cinegrafista. As ações aconteceram na tarde deste domingo, depois que os PMs verificaram que seus procedimentos estavam sendo registrados por parte dos profissionais.

A reportagem do Terra teve a carteira de habilitação apreendida, junto com a do cinegrafista e a da repórter de uma rádio. A ação, realizada por um soldado do 22º Batalhão que não quis se identificar - pela lapela, apenas “soldado César” -, ocorreu depois que a abordagem de um rapaz com uma micro-câmera começou a ser fotografada. Os três profissionais de imprensa foram obrigados a comparecer à base móvel da PM, do lado de fora do shopping, mesmo com a identificação funcional.

“(A apreensão de documentos) é para identificação de vocês, que vão ser cadastradas”, disse o soldado. Indagado sobre o significado do cadastramento, resumiu: “Se acontecer alguma coisa com vocês, eu sei quem são vocês”, respondeu.

Sobre o pedido da reportagem para que ele próprio se identificasse, o PM refutou: “Eu sou policial, você, infelizmente, não é, precisa estudar para ser. Aí você pode abordar, isso (estudar) dá esse direito. O Estado me dá esse direito.”

Mochila, bermuda e chinelo no alvo

Outro policial que acompanhou de longe a ação dos colegas alegou que o grupo estava ali para “coibir o rolezinho e algazarra” e descreveu que, dentre os critérios de averiguação de frequentadores, estavam os trajes – sobretudo bermuda e chinelos –, os acessórios – tais como mochila, citou – e se os abordados andariam em grupos.

De tênis, calça jeans e camisa polo Lacoste, sozinho, o cinegrafista abordado depois de usar o celular e uma micro-câmera definiu: “Foi um absurdo. Eu estava dentro do shopping, e os PMs disseram que eu estava em atitude suspeita. Não tinha como ser isso, se eu nem olhei para eles, entendeu?”, alegou. “Eu tinha entrado para ver como estava a movimentação do tal rolezinho, vi que tinha viaturas e fiz imagens delas. Aí, quando voltei para entrar, tomei até um susto: o policial mandou eu por a mão na cabeça, com uma arma nas minhas costas, me levou até a base móvel e pegou todos os meus dados”, relatou.

Para o 2º tenente De Luca, um dos comandantes da “Operação ‘rolezinho’ no shopping Interlagos” - como estava manuscrito em ficha de posse do policial -, o objetivo do policiamento no local era “não proibir, mas o que a gente não quer é algazarra”. Questionado sobre PMs à paisana, De Luca disse apenas que havia desses policiais “de folga” pelo shopping. Durante a conversa sobre o modo de abordar, de uma base móvel um PM ria e fazia fotos dos jornalistas com um celular.

Shopping nega pedido de abordagem e revista

Por meio da assessoria de imprensa, o shopping negou ter pedido à PM que o acesso de quaisquer cidadãos ao local – jornalistas ou não – fossem submetidos a revista ou bloqueio. Segundo a assessoria, o pedido de liminar à Justiça requeria que fosse evitada, na realidade, uma “tarde de autógrafos do MC Brankim” a fim de que se prevenissem eventuais contratempos.

A assessoria também negou que a segurança interna, privada, tenha sido reforçada - apesar de vigilantes andarem em grupos em número de pelo menos 50 deles no local, revelou um desses agentes, sob anonimato, e alguns, com colete à prova de balas.

Liminar mandava PM “acompanhar” rolezinho

Na liminar expedida hoje de manhã, a ordem da juíza Carolina Nabarro Muhoz Rossi, da 1ª Vara Cível do Foro de Santo Amaro, atendia ação judicial da Associação dos Lojistas do Shopping Interlagos (Alsi) e determinava que a PM acompanhasse rolezinho marcado para o local.

No começo da tarde, uma página do Facebook que marcava o rolezinho para hoje e o adiava para o dia próximo dia 9 foi retirada do ar. Já a tarde de autógrafos do funkeiro, por volta das 16h30, também marcado via Facebook, havia alterado o local do evento para um parque. Procurada para comentar a ação no shopping, a assessoria de imprensa da PM, até esta publicação, não deu resposta.

Tags: apreenderam, documentos, jornalistas, policiais, rolezinho

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.