Jornal do Brasil

Terça-feira, 16 de Setembro de 2014

País

RS: greve deixa Porto Alegre sem ônibus no feriado de Navegantes

Portal Terra

A greve dos rodoviários de Porto Alegre entra neste domingo em seu sétimo dia e deixa a cidade sem ônibus no feriado de Nossa Senhora de Navegantes, data tradicional da cidade na qual os ônibus deveriam circular com passe livre para facilitar a circulação dos devotos da festa religiosa.

Segundo a Brigada Militar (Polícia Militar gaúcha), nenhum ônibus deixou sua garagem nesta manhã; a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) igualmente não disponibilizou, até o momento, informações refentes à circulação dos coletivos na cidade.

Desde segunda-feira passada, quando o sindicato dos rodoviários entrou em greve, foram 45 os casos de ônibus que foram apedrejados ao descumprir a decisão da categoria e tentar colocar os veículos nas rua; piquetes montados em frente às garagens têm igualmente impedido a saída dos coletivos.

No sábado, a prefeitura convocou os funcionário da Companhia Carris Porto-Alegrense - única empresa pública de transporte municipal de Porto Alegre - a cumprir com a grade de horários previsto para o feriado de hoje.

Passe livre sem ônibus

Até ontem pairavam dúvidas sobre a situação da greve no feriado de hoje. Os rodoviários sinalizaram ao longo da semana que estariam dispostos a trabalhar com as catracas liberadas, forma de manter a greve sem prejudicar a população, mas a opção acabou descartada.

Por lei, os ônibus operam em passe livre no feriado de Navegantes, razão pela qual havia a possibilidade, posteriormente descartada, de que os coletivos excepcionalmente saíssem de suas garagens neste domingo. Oficialmente, o passe livre está mantido.

No feriado de hoje ocorre a tradicional procissão de Navegantes. Os devotos se concentram na Igreja do Rosário, de onde saem às 8h em direção à Igreja de Nossa Senhora de Navegantes, percorrendo a rua Vigário José Inácio, as avenida Mauá, Castelo Branco (pista centro-bairro) e Sertório.

No Gasômetro - área pública na região central de Porto Alegre às margens do lago Guaíba -, o movimento era fraco às 11h. Algumas poucas pessoas se aproximavam da água para suas oferendas.

Uma delas era Carla Madronha Dias, 37 anos, moradora da cidade vizinha de Charqueadas. "Cheguei na rodoviária e tive que vir caminhando para cá (Gasômetro). Não sei se conseguirei ir até a Igreja de Nossa Senhor, vai depender se vou conseguir uma lotação", lamentou ela, que, em condições normais de transporte, teria ido de ônibus até a Igreja onde terminou a procissão.

Tags: circulação, devotos, greve, livre, passe, rodoviários

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.