Jornal do Brasil

Sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

País

RS: principal processo sobre a boate Kiss tem 11 mil páginas

Portal Terra

Passado quase um ano da tragédia na boate Kiss, em Santa Maria, mais de um processo tramita na Justiça para apurar a responsabilidade criminal pela tragédia e a indenização às vítimas. O principal deles, que tramita 1ª Vara Criminal da Comarca de Santa Maria, tem mais de 11 mil páginas. 

Este é o processo criminal pela qual respondem pelos crimes homicídio tentado e consumado os sócios da Kiss, Elissandro Callegaro Spohr e Mauro Londero Hoffmann, e os músicos da Banda Gurizada Fandangueira, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Augusto Bonilha Leão.

O extenso processo ainda está na fase de produção de provas e de depoimento das testemunhas. Até o momento, 92 sobreviventes e a Defesa de um dos réus pediu que outros 25 sejam ouvidos. Outras testemunhas e peritos só serão ouvidos após encerradas esta fase. 

O processo, no entanto, poderia ser ainda mais longo, uma vez que foi dividido em duas partes em junho do ano passado. Em uma ação separada, os réus Elton Cristiano Uroda (ex-sócio da Kiss) e Volmir Astor Panzer respondem pelo crime de falso testemunho. Também respondem pelo crime de frause processual o major Gerson da Rosa Pereira e o sargento Renan Severo Berleze, ambos do Corpo de Bombeiros. 

Além desses processos, tramita na 1ª Vara Cível da Comarca de Santa Maria uma ação coletiva movida pelo Ministério Público e pela Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria (AVTSM) contra os sócios da boate, o município de Santa Maria e o governo do Estado do Rio Grande do Sul. 

Tags: Casa, mortes, noturna, RS, Tragédia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.