Jornal do Brasil

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2014

País

Justiça nega pedido para audiências com sobreviventes da boate Kiss

Portal Terra

A 1ª Vara Criminal da Comarca de Santa Maria (RS) negou nesta sexta-feira o pedido feito pela Defesa de um dos réus do incêndio na boate Kiss para que fossem ouvidas as 636 vítimas sobreviventes da tragédia. 

De acordo com o parecer da juíza Karla Aveline de Oliveira, é desnecessário realizar uma audiência para cada uma das vítimas com o intuito de comprovar que estão vivas e fazem parte do rol de pessoas afetadas. Este pedido tinha sido feito pelos advogados de Elissandro Callegaro Spohr, conhecido como Kiko, que era um dos proprietárias da casa noturna. 

Além diso, a juíza determinou que, durante a visita de agentes do Instituto Geral de Perícias do Rio Grande do Sul (IGP-RS) ao local que abrigava a Kiss, será autorizada a presença de uma pessoa e um assistente técnico que representem cada uma das partes envolvidas: as defesas dos réus (Elissandro Callegaro Spohr, Mauro Londero Hoffmann, Marcelo de Jesus dos Santos e Luciano Bonilha Leão), o Ministério Público e a Associação dos Familiares de Vítimas e Sobreviventes da Tragédia de Santa Maria? (AVTSM).

A magistrada ainda negou o pedido para que os atos processuais fossem realizados a portas fechadas e manteve o acesso público e da imprensa às audiências. 

Tags: Casa, mortes, noturna, RS, Tragédia

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.