Jornal do Brasil

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2014

País

Haddad evita falar de Kassab e cita 'contrato irracional' com a Controlar

Portal Terra

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, evitou comentar as denúncias de uma testemunha ao Ministério Público de que o ex-prefeito Gilberto Kassab teria recebido “uma fortuna” da Controlar, empresa que presta serviços de inspeção veicular na capital paulista. De acordo com o petista, a cidade teve um prejuízo de mais de R$ 300 milhões por conta do contrato “irracional” que Kassab fez com a empresa responsável pela inspeção veicular.

De acordo com o prefeito, com o antigo contrato da Controlar, que expira dia 31 de janeiro deste ano, muitas pessoas compraram seus carros e decidiram licenciar fora da cidade para não precisar fazer a inspeção.

“Não vou comentar uma investigação do MP. Minha posição sobre o contrato é conhecida. O contrato expirou, é um contrato irracional que causou enorme prejuízo à cidade. É uma estimativa de perda de arrecadação de IPVA que supera R$ 300 milhões. Não trouxe benefício e agora estamos num processo de correção de rumo, fazendo uma inspeção racional, de acordo com a idade do veículo”, explicou Haddad.

A ideia de Haddad com o novo contrato de inspeção, que ainda está em licitação, é fazer com que o carro passe por um controle de emissão de gases de acordo com a sua idade.

“Tivemos, no último trimestre, um aumento de licenciamento de carros novos na comparação com o Estado. Voltamos à racionalidade. Elas compram carro e contribuem com a cidade. Nosso trabalho de um ano e com ajuda da justiça vai se resolver até dia 31, que é a substituição da empresa. Entendemos que esse contrato expirou e vamos mudar totalmente o sistema, colocando um sistema moderno com isenção da taxa porque o proprietário do carro já paga o IPVA, então não vai precisar pagar taxa de inspeção. E a inspeção é proporcional ao veículo. Quanto mais novo, menos inspeção”, explicou.

 

Tags: empresa, Fraudes, inspeção, licença, veículos

Compartilhe:

Postar um comentário

Faça login ou assine para comentar.